Avançar para o conteúdo principal

11 Conselhos do Papa Francisco para os namorados e noivos na exortação «A Alegria do Amor»

É necessário «ajudar os jovens a descobrir o valor e a riqueza do matrimónio», escreve o Papa Francisco na exortação apostólica Amoris Laetitia («A Alegria do Amor»), apresentada a 8 de abril.
Dela podemos retirar uma série de conselhos do pontífice para os namorados e noivos:

1. Na preparação dos noivos para o matrimónio, «é necessário lembrar a importância das virtudes. Dentre elas, resulta ser condição preciosa para o crescimento genuíno do amor interpessoal a castidade» (n.º 206)

2. «Aprender a amar alguém não é algo que se improvisa, nem pode ser o objectivo dum breve curso antes da celebração do matrimónio. Na realidade, cada pessoa prepara-se para o matrimónio, desde o seu nascimento. Provavelmente os que chegam melhor preparados ao casamento são aqueles que aprenderam dos seus próprios pais o que é um matrimónio cristão, onde se escolheram um ao outro sem condições e continuam a renovar esta decisão» (n.º 208)


3. «O matrimónio é uma questão de amor: só se podem casar aqueles que se escolhem livremente e se amam» (n.º 217)

4. «São muito úteis os grupos de noivos e a oferta de palestras opcionais sobre uma variedade de temas que realmente interessam aos jovens. Entretanto são indispensáveis alguns momentos personalizados, dado que o objectivo principal é ajudar cada um a aprender a amar esta pessoa concreta com quem pretende partilhar a vida inteira» (n.º 208).

5. Durante o noivado devem ter a capacidade de reconhecer «incompatibilidades e riscos e aceitar que não é razoável apostar naquela relação, para não se expor a um previsível fracasso que terá consequências muito dolorosas» (n.º 209).

6. «Os noivos deveriam ser incentivados e ajudados a poderem expressar o que cada um espera dum eventual matrimónio, a sua maneira de entender o que é o amor e o compromisso, aquilo que se deseja do outro, o tipo de vida em comum que se quer projectar. Estes diálogos podem ajudar a ver que, na realidade, os pontos  de contacto são escassos e que a mera atracção mútua não será suficiente para sustentar a união» (n.º 209)

7. «Lembremo-nos de que um compromisso tão  grande como este expresso no consentimento matrimonial e a união dos corpos que consuma o matrimónio, quando se trata de dois baptizados, só podem ser interpretados como sinais do
amor do Filho de Deus feito carne e unido com a sua Igreja em aliança de amor» (n.º 213).

8. O sacramento do matrimónio «não é apenas um momento que logo passa a fazer parte do passado e das recordações, mas exerce a sua influência sobre toda a vida matrimonial, de maneira permanente» (n.º 215)

9. Não se concentrem apenas na festa, mas dediquem o melhor das suas forças «a preparar-se como casal para o grande passo que, juntos, vão dar». Tenham «a coragem de ser diferentes, não vos deixeis devorar pela sociedade do consumo e da aparência. O que importa é o amor que vos une, fortalecido e santificado pela graça» (n.º 212).

10. O casamento não é o fim do caminho, pois o matrimónio é «uma vocação que os lança para diante, com a decisão firme e realista de atravessarem juntos todas as provações e momentos difíceis» (n.º 211)

11. Não seria bom chegarem ao matrimónio sem ter rezado juntos, um pelo outro, pedindo ajuda a Deus para serem fiéis e generosos, perguntando juntos a Deus que espera deles, e inclusive consagrando o seu amor diante duma imagem de Maria» (n.º 216)


In: http://fraternitasmovimento.blogspot.pt/2016/05/11-conselhos-do-papa-francisco-para-os.html

Mensagens populares deste blogue

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

Mais de 46 pares de noivos preparam matrimónio em Famalicão

Iniciaram a sua preparação para o casamento no passado domingo, dia 15 de abril, no Centro Social e Paroquial de Ribeirão, 46 pares de noivos, sob a orientação de uma equipa de seis casais oriundos das paróquias de Esmeriz, Fradelos, Lousado e Ribeirão, bem como do assistente deste CPM, o padre António Machado, pároco das freguesias de Fradelos e de Vilarinho das Cambas. A equipa é coordenada pelo casal Ana Maria Almeida e Adão Manuel Rocha, da paróquia de Ribeirão.

Mãe, obrigado!

Mãe, Tu, Que a partir do momento que aceitaste o dom da vida, Desde da fecundação do teu filho… até hoje, Todas os dias, Ao longo da tua vida, Sempre. Sem nunca deixares de te preocupar, Estiveste sempre ao seu lado.