Avançar para o conteúdo principal

Namorar noutro rumo - Dia dos Namorados

Devemos entender a palavra namorar como seduzir, encantar, cobiçar, apaixonar-se, prender, criar afetos e laços com alguém ou alguma coisa.
Quantas vezes nos indagamos sobre o sentido de namorar, na sociedade atual? Estarão os jovens preparados para namorar? Que sentido tem, nas nossas vidas, esta palavra tão fecunda?
E namorar será somente cortejar, desejar ou gostar de alguém?
Sem dúvida que a palavra namorar pode assumir vários contornos. Namorar pode ser entendido no sentido mais universal do vocábulo que é amar, ou então, no sentido mais íntimo e humano assumindo o sentido de apaixonar-se por algo ou por alguém. Neste caso, o namorar é também entendido como o afeto livre e gratuito entre casais e esposos, numa entrega plena no quotidiano, numa cumplicidade a dois para enfrentar a árdua caminhada.
O namoro assenta num acolhimento, numa dedicação, numa entrega, num diálogo amoroso que se assume e que se sente para enfrentar a vida.
Noutra dimensão, temos o namoro simples das coisas belas que existem na natureza e nos tornam felizes. Por isso, é imperioso namorar a família, a vida, as pessoas nas suas relações interpessoais, compreendendo o ritmo vertiginoso das mudanças da sociedade em permanente mutação, na qual vivemos.
Por último, o namoro culmina com um afeto sustentado e inspirado na fé, na capacidade de ouvir e escutar o outro para nos sabermos colocar no lugar do outro, para compreender e respeitá-lo numa dinâmica de relação que se vai fortificando pela vida fora apoiada no espírito de Jesus.
Urge namorar a Esperança, a Fé e a Vida. Namorar no silêncio, na paz e na justiça para ir ao encontro da Palavra Celebrada.


 Marta Guimarães
Equipa da Pastoral Familiar Arciprestal
Vila Nova de Famalicão

Mensagens populares deste blogue

Conselhos do Papa Francisco para ir à Missa com crianças

Choros ou gritos das crianças podem atrapalhar, mas a comunidade deve incentivar a participação de toda família.
“Chata!” Respondi à minha avó quando me perguntou sobre o que eu havia achado da Missa. Na época, eu tinha uns seis anos. E olha que cresci em uma família católica, frequentando Missas e catequeses! Recordo que ir à Missa, muitas vezes, representava uma soneca durante a  homilia, pipocas doces e coloridas ou sorvete no fim. Confesso que minha participação não era exemplar, porém, creio que essa liberdade na participação foi ajudando a semear a fé em meu coração e em minha mente.

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

A mulher é quem dá harmonia ao mundo, não está aqui para lavar louça

O Pontífice indicou que é necessário evitar se referir à mulher falando somente sobre a função que realiza na sociedade ou em uma instituição, sem levar em consideração que a mulher, na humanidade, realiza uma missão que vai além e que nenhum homem pode oferecer: “O homem não traz harmonia: é ela. É ela que traz a harmonia, que nos ensina a acariciar, a amar com ternura e que faz do mundo uma coisa bela”. Em sua reflexão sobre a Criação, a partir da leitura do Livro do Gênesis, o Papa Francisco se referiu ao papel da mulher na humanidade.