Avançar para o conteúdo principal

Finlândia rejeita eutanásia

Deputados decidiram criar um grupo de trabalho sobre cuidados paliativos para doentes em fim de vida.

Uma iniciativa legislativa apresentada por um grupo de cidadãos a defender a eutanásia foi rejeitada pelo Parlamento da Finlândia.
A proposta com intitulada “Morrer com dignidade”, que conseguiu 60 mil assinaturas, foi a plenário este mês e recebeu 128 votos contra dos deputados finlandeses e apenas 60 a favor.
A legalização da eutanásia foi rejeitada e os parlamentares decidiram criar um grupo de trabalho sobre cuidados paliativos para doentes em fim de vida.
A iniciativa popular foi rejeitada pela Associação de Médicos da Finlândia, que se opõe à eutanásia ou a qualquer forma de acelerar a morte de um doente.
O tema também está na ordem do dia em Portugal. A 29 de maio vão ser discutidos na Assembleia da República quatro projetos-lei relacionados com a legalização da eutanásia.
Para o mesmo dia está convocada uma manifestação de vários movimentos contrários à legalização da Eutanásia, como a Federação Portuguesa pela Vida.
A 24 de maio, o “Stop Eutanásia” promove a manifestação “Os Portugueses Não querem a eutanásia”, às 12h30, diante do Palácio de São Bento. 

RENASCENÇA

Mensagens populares deste blogue

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis...

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis como medida de controlo dos cães e gatos vadios. Governo pode vir a estender prazo, porque maioria dos canis não sofreu obras. Em 31 concelhos nem sequer existem.

E se ajudássemos os outros a viver?

Nunca fui autónoma, mas isso não me tornou menos digna em nenhum dos dias, desde que nasci. É por isso que não posso ficar em silêncio, numa altura em que nos preocupamos em como ajudar os outros a morrer.

Eutanásia: Interrupção Voluntária do Amor (IVA)

Nestas últimas semanas, estou em visita pastoral às paróquias mais pequenas do arciprestado de Cabeceiras de Basto. No contexto atual de debate sobre a eutanásia, tenho procurado saudar ainda com mais respeito e carinho os idosos que encontro nos Centros de Convívio, em suas casas ou na Igreja Paroquial na celebração do Sacramento da Unção dos Doentes.