Avançar para o conteúdo principal

Quem são as sete mulheres mencionadas na Oração Eucarística I da missa?

Quando o padre adopta a Oração Eucarística I, ele tem a opção de recitar uma lista de santos antes e depois das palavras da consagração. Trata-se de uma lista antiga, que foi mudada poucas vezes ao longo dos séculos.


A primeira lista da missa destaca a Virgem Maria, São José, os 12 apóstolos e outros 12 santos da Igreja primitiva. Depois da consagração, o sacerdote recitará outra lista de 15 santos, incluindo sete mulheres. Mas quem são elas? Conheçamos um pouco sobre a vida destas santas:
Santa Felicidade: foi uma jovem escrava do século II. Depois de ficar grávida, Felicidade foi perseguida pelos romanos por sua fé cristã e condenada à morte, juntamente com Santa Perpétua, na arena onde aconteciam os jogos públicos. – Santa Perpétua: era uma nobre de Cartago e foi jogada na mesma prisão que Felicidade por se recusar a abandonar a sua fé cristã. Ela relatou sua experiência em um diário até o dia de sua morte.

Santa Águeda: uma jovem que, em idade tenra, escolheu Jesus como seu cônjuge.  No século III. Águeda foi perseguida por ser cristã e colocada na prisão. Sofreu várias torturas até à sua morte. Foi altamente venerada na Igreja primitiva e acredita-se que, por sua intercessão, uma cidade italiana tenha sido protegida de um vulcão devastador um ano depois que ela morreu.

Santa Luzia: Nascida no século III, Luzia dedicou a sua virgindade a Cristo quando ainda era criança, mas sua mãe não estava ciente disso e arranjou um casamento para a menina. Ela recusou-se por causa dos seus votos. Porém, o homem com quem ela deveria casar denunciou-a por ser cristã. Isso levou-a a um horrível martírio. Conta-se que os seus olhos foram arrancados antes mesmo de ela ser morta.


Santa Inês: era filha de pais ricos e distintos membros da sociedade romana do século IV. Ela também se dedicou a Deus e recusou-se a casar. Aos 12 anos, foi condenada à morte devido à sua recusa e por ser cristã. Seu nome significa “cordeiro” e, anualmente, na sua festa, dois cordeiros são abençoados pelo Papa. A lã deles é retirada na Quinta-feira Santa e, depois, utilizada na confecção do pálio que os arcebispos metropolitanos usam sobre os ombros.


Santa Cecília: Assim como Inês, Luzia e Águeda, Cecília era de uma família nobre do século II e também dedicou a sua virgindade a Deus. Ela foi forçada a casar-se, mas um anjo da guarda ajudou-a a preservar a sua pureza. Cecília foi condenada à morte por sua fé cristã e é popularmente conhecida como a padroeira da música em virtude das suas habilidades nesta arte.


Santa Anastácia: foi uma viúva romana do século IV. Depois da morte do marido, dedicou a vida a atos de caridade e à prática da fé cristã. Durante a perseguição de Diocleciano, foi martirizada.
 
A partir de Aleteia.org

Mensagens populares deste blogue

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis...

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis como medida de controlo dos cães e gatos vadios. Governo pode vir a estender prazo, porque maioria dos canis não sofreu obras. Em 31 concelhos nem sequer existem.

E se ajudássemos os outros a viver?

Nunca fui autónoma, mas isso não me tornou menos digna em nenhum dos dias, desde que nasci. É por isso que não posso ficar em silêncio, numa altura em que nos preocupamos em como ajudar os outros a morrer.

Eutanásia: Interrupção Voluntária do Amor (IVA)

Nestas últimas semanas, estou em visita pastoral às paróquias mais pequenas do arciprestado de Cabeceiras de Basto. No contexto atual de debate sobre a eutanásia, tenho procurado saudar ainda com mais respeito e carinho os idosos que encontro nos Centros de Convívio, em suas casas ou na Igreja Paroquial na celebração do Sacramento da Unção dos Doentes.