Avançar para o conteúdo principal

Qual o melhor presente para as crianças?

Tempo, é o nome do melhor presente para as crianças. 

Não se vende em lojas de brinquedos, nem mesmo online. Só se encontra em nós, em nossa disposição e em estarmos cientes de que uma história não deve ser lida em dois minutos.

Dedicar tempo às crianças  não significa deixá-los no telemóvel, tablet ou deixa-los ligados ao seu canal de televisão favorito. Isso não é nem educação nem carinho, nem afeto.
A  pressa é negativa. Não explicar as coisas com calma pode dar lugar a equívocos. Há que criar o clima para que as crianças façam perguntas e dar tempo para que tudo seja arredondado e não fiquem franjas. Qualquer tema contado com calma e com entusiasmo capta o interesse das crianças. 
-Ana Etchenique-
elefantes-queridos

Slow-parenting, parentalidade sem pressas

Educar e compartilhar momentos “sem pressa” significa respeitar os seus ritmos, dar-lhes espaço para se desenvolverem, perceberem que há etapas, que crescem e evoluem sem o stress e exigências, que não precisam de acelerador.
Esta perspectiva educacional é baseado na filosofia consciente (calma), o que expressa a necessidade de favorecer um ritmo mais calmo à vida, promovendo a maturidade, a evolução e a criação de laços no desenvolvimento natural da criança, sem pressa.
Assim se consegue apoiar as crianças a cada passo, sem forçar as suas etapas de desenvolvimento e fornecendo  oxigênio psicológico para a sua educação , não esquecendo as marcas e a introdução de alegria em cada momento de aprendizagem, em cada demonstração de carinho e cada conjunto de regras.
menina-com-flor-elefante

Que a vida apressada não roube a magia da infância 

A vida apressada é o nosso pior conselheiro. Ela é responsável por roubar os momentos mais preciosos e os detalhes mais maravilhosas sobre a magia da infância. Agora, se pararmos para pensar, talvez possamos resolver esta situação.
Trabalhos de casa, arrumar a casa, tomar banho, futebol às seis, aniversário às oito, o jantar às dez … todos os dias …a trote e a galope. O que nós queremos conseguir com isso? Estamos a aproveitar as nossas crianças? Estamos conscientes do que estamos perdendo e do que estamos a fazer eles perderem?
Provavelmente não.  TEMPO é o que nós devemos oferecer aos nossos filhos, se jogarmos com eles o suficiente e se organizarmos o nosso dia de forma a reservar  um pouquinho para nos  dedicarmos exclusivamente a eles e a nós, em conjunto.
Assim, é importante:
  • Deixar de lado a corrida do início da manhã e acordamos os nossos filhos com carinho e amor oferecendo um pequeno-almoço em paz.
  • Saborear cada refeição com eles, sem distrações como a televisão ou revistas. Podemos jogar ao olhos nos olhos, podemos falar sobre coisas quotidianas e aprofundar a expressão de sentimentos e emoções.
  • Este espaço é bom para conquistar “momentos de segredos” em que se permite falar sobre as nossas coisas com total sinceridade.
  • Fazer passeios para conhecer lugares, paisagens naturais e ambientes que nos convidam a explorar e experimentar coisas juntos.
  • Podemos ocasionalmente tomar uma banho mais prolongado e relaxante, em vez de tomar banho à pressa.
  • É essencial deixá-los escolher, porque por vezes programamos excessivamente as suas vidas diárias e boicotamos as suas esperanças, expectativas e decisões.
  • Desligar os telefones e todos os outros dispositivos electrónicos, que como  sabemos, absorvem a nossa atenção.
  • Ocasionalmente podemos descansar em qualquer lugar da casa e não fazer absolutamente nada.
  • Procurar jogos que melhorem a sua criatividade, a sua inteligência e sua capacidade de sentir.
Não deixemos que a infância dos nossos filhos seja marcada  pelos maus hábitos que existem hoje. O melhor presente não é o comando dos desenhos animados ou as últimos bonecos da Disney. O melhor presente é para partilhar com eles o bem mais precioso que existe na vida e nunca mais volta: o tempo.

Mensagens populares deste blogue

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis...

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis como medida de controlo dos cães e gatos vadios. Governo pode vir a estender prazo, porque maioria dos canis não sofreu obras. Em 31 concelhos nem sequer existem.

E se ajudássemos os outros a viver?

Nunca fui autónoma, mas isso não me tornou menos digna em nenhum dos dias, desde que nasci. É por isso que não posso ficar em silêncio, numa altura em que nos preocupamos em como ajudar os outros a morrer.

Eutanásia: Interrupção Voluntária do Amor (IVA)

Nestas últimas semanas, estou em visita pastoral às paróquias mais pequenas do arciprestado de Cabeceiras de Basto. No contexto atual de debate sobre a eutanásia, tenho procurado saudar ainda com mais respeito e carinho os idosos que encontro nos Centros de Convívio, em suas casas ou na Igreja Paroquial na celebração do Sacramento da Unção dos Doentes.