Avançar para o conteúdo principal

A misericórdia é uma «forma de conhecimento»


«Sabemos que se conhece através de muitas formas. Conhece-se através dos sentidos, conhece-se através da intuição, através da razão e ainda de outras formas.» Hoje, o papa acrescentou outra arquitetura do saber.


Para Francisco, «a misericórdia à luz da Páscoa deixa-se perceber como uma verdadeira forma de conhecimento. E isto é importante: a misericórdia é uma verdadeira forma de conhecimento», sublinhou o papa na oração do "Regina Coeli" (Rainha dos Céus), no Vaticano.
«Pode-se conhecer através da experiência da misericórdia, porque a misericórdia abre a porta da mente para compreender melhor o mistério de Deus e da nossa existência pessoal», acentuou.
As palavras do papa foram proferidas no dia em que os católicos assinalam o domingo da Divina Misericórdia, instituído pelo papa S. João Paulo II no ano 2000, para ser celebrado no domingo após a Páscoa.
«A misericórdia faz-nos compreender que a violência, o rancor, a vingança não têm qualquer sentido, e a primeira vítima é quem vive destes sentimentos, porque se priva da própria dignidade», prosseguiu Francisco.
É a misericórdia que abre «a porta do coração e permite exprimir a proximidade sobretudo com quantos estão sós e marginalizados, porque os faz sentir irmãos e filhos de um só Pai. Ela favorece o reconhecimento de quantos precisam de consolação e faz encontrar palavras adequadas para dar conforto».
Por isso, apontou Francisco, «a misericórdia aquece o coração e torna-o sensível às necessidades dos irmãos com a partilha e participação. A misericórdia, em suma, compromete todos a serem instrumentos de justiça, de reconciliação e de paz».
«Nunca esqueçamos que a misericórdia é a pedra angular na vida de fé, e a forma concreta com que damos visibilidade à ressurreição de Jesus», vincou o papa.
A «primeira tarefa» que Jesus, depois de ressuscitado, transmitiu à Igreja foi «a sua própria missão de levar a todos o anúncio concreto do perdão», observou Francisco, acrescentando que esse «sinal visível da sua misericórdia leva consigo a paz do coração e a alegria do encontro renovado com o Senhor».

Mensagens populares deste blogue

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

Oração de Consoada 2017

Maria de Nazaré, Contigo cantamos as maravilhas de Deus. A tua espera, hoje nos enche de alegria! Com ela aprendemos o prazer de esperar... e por meio dela vivemos agora habitados pelo infinito...
José, filho de David, A tua espera, hoje surpreende-nos... Estamos maravilhados, porque Deus Entra no nossa vida e na nossa história Para nos oferecer a esperança da vida eterna.
Jesus, Deus connosco, O desejo de ti, faz-nos hoje experimentar a tua presença viva, simples e dócil. Sentado à nossa mesa, convives connosco nesta noite E nos interpelas com a tua ternura.
Sagrada família de Nazaré, Neste Natal, faz-nos sair ao encontro Dos rostos concretos daqueles que mais precisam. Não nos deixes acomodar diante desta mesa rica, Mas interpela-nos diante da pobreza e da injustiça.
Deus, Pai nosso, Abençoa-nos e abençoa estes alimentos Que em família reunida tomamos. Mas não nos deixes cair na tentação da indiferença. Dai pão a quem tem fome e fome de justiça a quem tem pão.
Amen!

Um cristão não pode dizer “sou contra homossexuais”

Convém recordar que Jesus Cristo está depois do Antigo Testamento e que, na sua passagem pela terra, deu sempre lugar de destaque às prostitutas, sobretudo a Maria Madalena. E, já agora, não será Mateus 19:12 uma aceitação da naturalidade da homossexualidade? “Alguns eunucos são assim porque nasceram assim”.