Avançar para o conteúdo principal

A Fé é concreta


O papa acentuou hoje que a fé cristã se define pela sua aplicação concreta, mais do que por conceitos, e alertou a Igreja para que deixe de repetir o erro dos doutores da lei judeus e deixe de anunciar o Evangelho com inflexibilidade e dureza.

As palavras de Francisco foram proferidas na missa a que presidiu, no Vaticano, perante os nove cardeais que o aconselham mais proximamente, o denominado grupo C9, com os quais se reúne entre hoje e quarta-feira, refere a Rádio Vaticano.
Os apóstolos Pedro e João «têm coragem, têm a franqueza, a franqueza do Espírito», o que implica «falar abertamente, com coragem, a verdade, sem compromisso», e é nestes critérios que se exprime «a concretude da fé», observou o papa, que baseou a homilia na primeira leitura bíblica proclamada nas missas desta segunda-feira (Atos 4, 23-31).
«Por vezes esquecemo-nos de que a nossa fé é concreta: o Verbo [Jesus] fez-se carne, não se fez ideia: fez-se carne. E quando recitamos o Credo, todas as coisas que dizemos são concretas: "Creio em Deus Pai, que fez o Céu e a Terra, creio em Jesus Cristo que nasceu, que morreu", são tudo coisas concretas», acentuou.
A profissão de fé dos católicos não diz: «Creio que devo fazer isto, que devo fazer aquilo, que devo fazer aqueloutro», prosseguiu o papa, que acrescentou: «A concretude da fé que leva à franqueza, ao testemunho até ao martírio, que é contra os compromissos ou a idealização da fé».

«O vento sopra onde quer e ouvimos a voz, mas não se sabe de onde vem nem para onde vai. Assim é todo aquele que nasceu do Espírito": ouve a voz, segue o vento, segue a voz do Espírito Santo sem conhecer onde terminará. Porque fez uma opção pela concretude da fé e o renascimento no Espírito»
Francisco vincou que os doutores da lei do tempo de Jesus estavam «enjaulados» numa «mentalidade racionalista, que não acabou com eles»; em vez disso, prosseguiu nas comunidades cristãs.
«Na história da Igreja, muitas vezes, ela própria condenou o racionalismo, o iluminismo, e depois caiu muitas vezes numa teologia do "pode-se e não se pode", "até aqui, até ali", e esqueceu a força, a liberdade do Espírito Santo, este renascer do Espírito que te dá a liberdade», afirmou.
A concluir, Francisco proferiu uma prece: «Peçamos ao Senhor esta experiência do Espírito que vai e vem e nos leva por diante, do Espírito que nos dá a unção da fé, a unção da concretude da fé».
«"O vento sopra onde quer e ouvimos a voz, mas não se sabe de onde vem nem para onde vai. Assim é todo aquele que nasceu do Espírito": ouve a voz, segue o vento, segue a voz do Espírito Santo sem conhecer onde terminará. Porque fez uma opção pela concretude da fé e o renascimento no Espírito.
O Senhor nos dê a todos nós este Espírito pascal, de ir pelas estradas do Espírito sem compromissos, sem rigidez, com a liberdade de anunciar Jesus Cristo como Ele veio: em carne», frisou Francisco.

Fonte: Rádio Vaticano
Publicado em 24.04.2017

Mensagens populares deste blogue

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

Mais de 46 pares de noivos preparam matrimónio em Famalicão

Iniciaram a sua preparação para o casamento no passado domingo, dia 15 de abril, no Centro Social e Paroquial de Ribeirão, 46 pares de noivos, sob a orientação de uma equipa de seis casais oriundos das paróquias de Esmeriz, Fradelos, Lousado e Ribeirão, bem como do assistente deste CPM, o padre António Machado, pároco das freguesias de Fradelos e de Vilarinho das Cambas. A equipa é coordenada pelo casal Ana Maria Almeida e Adão Manuel Rocha, da paróquia de Ribeirão.

Mãe, obrigado!

Mãe, Tu, Que a partir do momento que aceitaste o dom da vida, Desde da fecundação do teu filho… até hoje, Todas os dias, Ao longo da tua vida, Sempre. Sem nunca deixares de te preocupar, Estiveste sempre ao seu lado.