Avançar para o conteúdo principal

Investir na vida, na família, nos jovens



Teve lugar no Vaticano o encontro entre o Papa Francisco e os líderes europeus por ocasião do 60° aniversário dos Tratados constitutivos da Comunidade Europeia. No seu discurso o Santo Padre sublinhou que na origem da civilização europeia está o Cristianismo, sem o qual os valores ocidentais de dignidade, liberdade e justiça são incompreensíveis.

No seu discurso Francisco  recordou o 25 de Março de 1957, um dia – disse - cheio de expectativas e esperanças, de entusiasmo e trepidação, e só um evento excepcional, pelo seu alcance e consequências históricas, podia torná-lo único na história. A memória daquele dia, ressaltou o Papa,  une-se às esperanças de hoje e às expectativas dos povos europeus que exigem de discernir o presente para continuar com renovado entusiasmo e confiança o caminho iniciado.


E as respostas, disse ainda Francisco, encontramo-las precisamente nos pilares sobre os quais se quis edificar a Comunidade Económica Europeia, ou seja: a centralidade do homem, uma solidariedade factiva, a abertura ao mundo, a busca da paz e do desenvolvimento, a abertura para o futuro. A quem governa compete discernir os caminhos da esperança, identificar os percursos concretos para garantir que os passos significativos feitos até agora não se dispersem, mas sejam penhor de um caminho longo e frutuoso.

E o Papa terminou exortando os povos europeus a reencontrar a esperança e manifestando a sua proximidade, bem como a da Santa Sede e da Igreja, a toda a Europa, contribuindo, como sempre tem feito, para a sua edificação, e invocando sobre ela as bênçãos do Senhor.

25, de Março de 2017

Mensagens populares deste blogue

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis...

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis como medida de controlo dos cães e gatos vadios. Governo pode vir a estender prazo, porque maioria dos canis não sofreu obras. Em 31 concelhos nem sequer existem.

E se ajudássemos os outros a viver?

Nunca fui autónoma, mas isso não me tornou menos digna em nenhum dos dias, desde que nasci. É por isso que não posso ficar em silêncio, numa altura em que nos preocupamos em como ajudar os outros a morrer.

Eutanásia: Interrupção Voluntária do Amor (IVA)

Nestas últimas semanas, estou em visita pastoral às paróquias mais pequenas do arciprestado de Cabeceiras de Basto. No contexto atual de debate sobre a eutanásia, tenho procurado saudar ainda com mais respeito e carinho os idosos que encontro nos Centros de Convívio, em suas casas ou na Igreja Paroquial na celebração do Sacramento da Unção dos Doentes.