Avançar para o conteúdo principal

Caminhada Quaresmal 2017 - Arquidiocese de Braga


O Tempo da Quaresma abre para cada cristão a porta da conversão que conduz à alegria da reconciliação. Efetivamente, sendo um tempo de uma vivência profunda dos mistérios da paixão-morte-ressurreição de Jesus Cristo, pretende-se desenvolver uma atitude de penitência e conversão para um encontro fundamental e alegre com Jesus Cristo.
Para exprimir todo este dinamismo de conversão e de revestimento de Cristo, numa imagem que fosse a base de trabalho e de desenvolvimento desta caminhada, recorremos a três elementos: a Cruz, a figura de Maria e tecidos/faixas. Estes devem estar unidos entre si: uma cruz visível, com Cristo ou sem a figura de Cristo, revestida de panos/faixas/tecidos manchados, escuros, com a figura de Maria a seus pés.
Assim, abeiramo-nos de Maria, Mãe de Misericórdia, para que com ela possamos lavar, tecer e recriar o tecido da nossa vida, marcado pela fragilidade e pelo pecado. Com Maria, acreditamos que será possível revestir os cantos mais íntimos da nossa vida com mais esperança e misericórdia, fazendo essa experiência em vários ambientes: a nível pessoal, na família, na liturgia e na catequese.

Obter a caminhada a aqui Arquidiocese de Braga

Mensagens populares deste blogue

Conselhos do Papa Francisco para ir à Missa com crianças

Choros ou gritos das crianças podem atrapalhar, mas a comunidade deve incentivar a participação de toda família.
“Chata!” Respondi à minha avó quando me perguntou sobre o que eu havia achado da Missa. Na época, eu tinha uns seis anos. E olha que cresci em uma família católica, frequentando Missas e catequeses! Recordo que ir à Missa, muitas vezes, representava uma soneca durante a  homilia, pipocas doces e coloridas ou sorvete no fim. Confesso que minha participação não era exemplar, porém, creio que essa liberdade na participação foi ajudando a semear a fé em meu coração e em minha mente.

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

A mulher é quem dá harmonia ao mundo, não está aqui para lavar louça

O Pontífice indicou que é necessário evitar se referir à mulher falando somente sobre a função que realiza na sociedade ou em uma instituição, sem levar em consideração que a mulher, na humanidade, realiza uma missão que vai além e que nenhum homem pode oferecer: “O homem não traz harmonia: é ela. É ela que traz a harmonia, que nos ensina a acariciar, a amar com ternura e que faz do mundo uma coisa bela”. Em sua reflexão sobre a Criação, a partir da leitura do Livro do Gênesis, o Papa Francisco se referiu ao papel da mulher na humanidade.