Avançar para o conteúdo principal

Não há famílias perfeitas - XII Jornada da Família

“Não há famílias perfeitas!” pode ser considerada uma frase feita... No entanto, é uma afirmação inegável. 
Assumindo-a como tema da XII Jornada da Família desafiamos as famílias, as comunidades, cada um de nós, a fazer este caminho paciente, belo e fascinante na vida familiar. 
O nosso objectivo não é valorizar a imperfeição mas pormo-nos a caminho para descobrir a melhor maneira de fazer do nosso futuro um futuro com famílias.
O Papa Francisco, falando na Praça de São Pedro repleta de noivos, no 14 fev., 2014, dizia: "Sabemos todos que não existe a família perfeita, o marido perfeito, ou a mulher perfeita... não falemos da sogra perfeita! É habitual os casais zangarem-se...". Se assim é, como superar estas dificuldades!?
De novo o Papa responde: “Não há famílias perfeitas, mas isto não nos deve desencorajar. Pelo contrário, o amor aprende-se, o amor vive-se, o amor cresce «moldando-se» segundo as circunstâncias da vida que cada família concreta atravessa. O amor nasce e desenvolve-se sempre entre luzes e sombras. O amor é possível em homens e mulheres concretos que procuram fazer dos conflitos, não a última palavra, mas uma oportunidade. Oportunidade para pedirmos ajuda, oportunidade para nos questionarmos em que devemos melhorar, oportunidade para descobrirmos o Deus-connosco que nunca nos abandona. Este é um grande legado que podemos dar aos nossos filhos, uma óptima lição: é verdade que cometemos erros; é verdade que temos problemas; mas sabemos que estas coisas não são a realidade definitiva. Sabemos que os erros, os problemas, os conflitos são uma oportunidade para nos aproximarmos dos outros e de Deus.” (Papa Francisco, Filadélfia, 27 de setembro de 2015). 

A XII Jornada conta com a presença do Professor Dr. Juan Ambrosio, da Universidade Católica, para nos ajudar a refletir sobre esta realidade, tendo por base a Exortação Apostólica Amoris Laetitia (A alegria do Amor). A sua forma apaixonada de falar sobre a família e em prol da família segundo a proposta cristã não deixará de causar em nós um maior interesse e cuidado pela Família.

Em Cuba, o Papa Francisco disse: “Discute-se muito sobre o futuro, sobre o tipo de mundo que queremos deixar aos nossos filhos, que sociedade queremos para eles. Creio que uma das respostas possíveis se encontra pondo o olhar em vós: deixemos um mundo com famílias”.

Nós queremos deixar um mundo com famílias. Sabemos que sem a família o mundo não é habitável. Acreditamos que um mundo com famílias é a melhor das heranças à geração futura.

Acolhe e aceita o desafio de te colocar a caminho connosco na reflecção e partilha da vida!
Participa nesta XII Jornada da Família!

P'las equipas de Pastoral Familiar de Sto Adrião e São Martinho de Brufe de Vila Nova de Famalicão

#naohafamiliasperfeitas

Mensagens populares deste blogue

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

A mulher é quem dá harmonia ao mundo, não está aqui para lavar louça

O Pontífice indicou que é necessário evitar se referir à mulher falando somente sobre a função que realiza na sociedade ou em uma instituição, sem levar em consideração que a mulher, na humanidade, realiza uma missão que vai além e que nenhum homem pode oferecer: “O homem não traz harmonia: é ela. É ela que traz a harmonia, que nos ensina a acariciar, a amar com ternura e que faz do mundo uma coisa bela”. Em sua reflexão sobre a Criação, a partir da leitura do Livro do Gênesis, o Papa Francisco se referiu ao papel da mulher na humanidade.

Um cristão não pode dizer “sou contra homossexuais”

Convém recordar que Jesus Cristo está depois do Antigo Testamento e que, na sua passagem pela terra, deu sempre lugar de destaque às prostitutas, sobretudo a Maria Madalena. E, já agora, não será Mateus 19:12 uma aceitação da naturalidade da homossexualidade? “Alguns eunucos são assim porque nasceram assim”.