Avançar para o conteúdo principal

"É importante que divorciados sintam que fazem parte da Igreja"

O papa pediu hoje, na exortação apostólica 'Amoris Laetitia' ('A alegria no amor"), que sejam evitadas posturas rígidas perante situações "familiares irregulares", como a dos divorciados que voltaram a casar.
Francisco apoiou a readmissão dos recasados nos sacramentos, mediante um processo de acompanhamento.
Nesta exortação sobre a família, o papa indica "o caminho do discernimento", ou seja, um padre deve identificar caso a caso "as situações irregulares", como um casal de divorciados recasados, para que sejam readmitidos nos sacramentos.
"É importante que os divorciados que vivem uma nova união sintam que fazem parte da Igreja, que 'não estão excomungados', e não são tratados como tal, porque sempre integram a comunhão eclesiástica", defendeu Francisco.

No entanto, ao longo de 260 páginas dedicadas à família e ao casamento, o papa não se refere diretamente ao acesso à comunhão, uma das principais reivindicações dos católicos divorciados e que voltaram a casar pelo civil.
O papa Francisco reconheceu o valor de algumas uniões livres estáveis.
Os casais heterossexuais em união livre ou casados apenas pelo civil podem também ser "sinais de amor" a ter em conta quando atingem uma "estabilidade consistente através de um laço público", ou quando a união é "caracterizada por uma afeição profunda", escreveu.
Em relação aos homossexuais, Francisco defendeu o respeito e a sua não-discriminação, mas sublinhou que as suas uniões não podem ser consideradas um casamento e condenou as pressões de organismos que procuram legalizar o matrimónio homossexual.
O papa afirmou que "todas as pessoas, independentemente da orientação sexual, devem respeitadas na sua dignidade e acolhidas com respeito, procurando evitar 'qualquer sinal de discriminação injusta' e particularmente qualquer forma de agressão e violência".
"É inaceitável que as igrejas locais sofram pressões nesta matéria e que organismos internacionais condicionem a ajuda financeira aos países pobre à introdução de leis para instituir o 'casamento' entre pessoas do mesmo sexo", acrescentou.
"Só a união exclusiva e indissolúvel entre um homem e uma mulher cumpre uma função social plena", disse
"Ninguém pode pensar que enfraquecer a família como sociedade natural fundada no casamento seja algo que favoreça a sociedade", advertiu o papa.

Francisco garantiu que "acontece o contrário: prejudica a maturidade das pessoas, o cultivo dos valores comunitários e o desenvolvimento ético das cidades e dos povos".

Mensagens populares deste blogue

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis...

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis como medida de controlo dos cães e gatos vadios. Governo pode vir a estender prazo, porque maioria dos canis não sofreu obras. Em 31 concelhos nem sequer existem.

E se ajudássemos os outros a viver?

Nunca fui autónoma, mas isso não me tornou menos digna em nenhum dos dias, desde que nasci. É por isso que não posso ficar em silêncio, numa altura em que nos preocupamos em como ajudar os outros a morrer.

Eutanásia: Interrupção Voluntária do Amor (IVA)

Nestas últimas semanas, estou em visita pastoral às paróquias mais pequenas do arciprestado de Cabeceiras de Basto. No contexto atual de debate sobre a eutanásia, tenho procurado saudar ainda com mais respeito e carinho os idosos que encontro nos Centros de Convívio, em suas casas ou na Igreja Paroquial na celebração do Sacramento da Unção dos Doentes.