Avançar para o conteúdo principal

A vida não é uma mercadoria

O discurso do Papa Francisco ao Comitê Nacional de Bioética : "Rebatam a cultura do desperdício"

"O respeito pela integridade do ser humano e a proteção da saúde, desde a concepção até a morte natural, considerando a pessoa em sua singularidade, sempre como um fim e nunca simplesmente como um meio" é um princípio ético "fundamentais também no que diz respeito das aplicações biotecnológicas no campo da medicina, que nunca podem ser utilizados de uma forma prejudicial para a dignidade humana, e não ser guiada apenas por fins industriais ou comerciais " O Papa Francisco afirmou em 28 de janeiro falando na Comissão Nacional de Bioética recebido na Sala do Consistório.

"Todo mundo sabe - continuou ele - que a Igreja é sensível a questões éticas, mas talvez nem a todo mundo é igualmente claro que a Igreja não reivindica qualquer espaço privilegiado neste campo, de fato, é satisfatório quando a consciência cívica, a vários níveis, é capaz de refletir, de discernir e de operar com base na livre e aberta racionalidade e dos valores fundamentais da pessoa e da sociedade. Na verdade, apenas esta maturidade cívica responsável é um sinal de que a semeadura do Evangelho - este sim, revelado e confiadao à Igreja - deu os seus frutos, conseguindo promover a busca da verdade, da bondade e da beleza nas complexas questões éticas e humanas".
De acordo com Francisco, "se trata, em essência, ao serviço do Homem, todo o homem, todos os homens e mulheres, com especial atenção e cuidado para os mais vulneráveis e desfavorecidos, que estão lutando para fazendo soar suas vozes, ou ainda não podem, ou não poderão mais, fazê-la ouvir. Nesta terra da comunidade eclesial e civil, se encontram e são chamados a cooperar, de acordo com as suas competências distintas".

Papa Francisco, em seguida, encorajou o trabalho da Comissão da análise interdisciplinar das causas da degradação ambiental, a questão da deficiência e da marginalização dos grupos vulneráveis. Isso tem que ser tomado, sublinhou, "o desafio é combater a cultura do desperdício, que tem muitas expressões hoje, entre as quais existem o tratar os embriões humanos como material descartável, e assim também a morte que se aproximam de doentes e idosos". Por fim, ele pediu "mais e mais esforço no sentido de uma comparação internacional com vista a uma possível e desejável, embora complexa, harmonização de normas e regras das atividades biológicas e médicas que são capazes de reconhecer os valores e os direitos fundamentais".

Leia todo o discurso aqui...

In http://www.familiam.org

Mensagens populares deste blogue

Conselhos do Papa Francisco para ir à Missa com crianças

Choros ou gritos das crianças podem atrapalhar, mas a comunidade deve incentivar a participação de toda família.
“Chata!” Respondi à minha avó quando me perguntou sobre o que eu havia achado da Missa. Na época, eu tinha uns seis anos. E olha que cresci em uma família católica, frequentando Missas e catequeses! Recordo que ir à Missa, muitas vezes, representava uma soneca durante a  homilia, pipocas doces e coloridas ou sorvete no fim. Confesso que minha participação não era exemplar, porém, creio que essa liberdade na participação foi ajudando a semear a fé em meu coração e em minha mente.

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

A mulher é quem dá harmonia ao mundo, não está aqui para lavar louça

O Pontífice indicou que é necessário evitar se referir à mulher falando somente sobre a função que realiza na sociedade ou em uma instituição, sem levar em consideração que a mulher, na humanidade, realiza uma missão que vai além e que nenhum homem pode oferecer: “O homem não traz harmonia: é ela. É ela que traz a harmonia, que nos ensina a acariciar, a amar com ternura e que faz do mundo uma coisa bela”. Em sua reflexão sobre a Criação, a partir da leitura do Livro do Gênesis, o Papa Francisco se referiu ao papel da mulher na humanidade.