Avançar para o conteúdo principal

Família: oásis de esperança



A família é a base da esperança para a Humanidade (Papa Francisco)

Muito se fala da família. A família está em crise e a crise da instituição familiar é provocada, em parte, pela própria evolução da sociedade, que por sua vez é fruto da cultura contemporânea.
Mas será que se trata mesmo de uma crise ou serão as pessoas que já não têm esperança?
Num mundo onde o individualismo e o egoísmo estão bem patentes, torna-se urgente aprofundar as relações humanas, cultivar o amor, partilhar a amizade e conviver em fraternidade. E estes laços são fermentados na família.
Uma noite, durante um concerto em Filadélfia, nos Estados Unidos, o Papa Francisco disse no seu discurso que “a família é a base da esperança para a humanidade”. Partindo do pressuposto de que são os nossos valores que nos conduzem, é importante reforçar, na família de hoje, valores humanos universais como o amor, o respeito, a solidariedade e a dignidade, os quais contribuirão positivamente para a união familiar, formando famílias conscientes, responsáveis e, acima de tudo, Felizes. O maior sustentáculo de uma estrutura familiar é o amor. Daqui se depreende que, acima de tudo, é urgente saber amar. O verdadeiro amor faz com que os filhos se sintam fortes, aceites, valorizados e seguros. O amor é considerado uma das maiores conquistas do ser humano. Não menos importante é saber educar no seio familiar para valores como a fidelidade, a liberdade, o respeito, a responsabilidade, a complementaridade, a diferença, a tolerância e o perdão em comunhão.
Na sociedade atual, o tempo urge. Não há disponibilidade para os outros. Não há tempo para rezar em família. Não há tempo para agradecer a Deus por tudo, pelo dom de se ser Pai ou Mãe, Filho(s) e Avós. Há dificuldade em acreditar e dar o testemunho da fé no tempo presente.
No entanto, é possível ser mais família a partir da grande escola da Família de Jesus.
É urgente dialogar em família.
É urgente compreender e valorizar o outro.
É urgente aceitar e assumir as diferenças e os defeitos do outro.
É urgente saber perdoar.
É urgente cultivar a verdade e a partilha diária.
É urgente acolher com responsabilidade as dificuldades e resolvê-las no seio familiar.
Desta forma, a família que vive alicerçada na confiança mútua será uma família feliz, recheada de esperança para enfrentar as adversidades diárias com liberdade, paz e amor.

Inspiremo-nos na imagem da Sagrada Família de Nazaré, para que possamos irradiar essa felicidade e esse amor, em cada família e no mundo, sem nos esquecermos que a chave de tudo é o Amor. Que Nossa Senhora do Sim ajude todas as famílias na grande caminhada de vida e, possamos viver intensamente, este tempo de espera na alegria e na esperança na vinda de Cristo, nosso Salvador!

Pela Equipa Arciprestal da Pastoral Familiar de Vila Nova de Famalicão

Mensagens populares deste blogue

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis...

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis como medida de controlo dos cães e gatos vadios. Governo pode vir a estender prazo, porque maioria dos canis não sofreu obras. Em 31 concelhos nem sequer existem.

E se ajudássemos os outros a viver?

Nunca fui autónoma, mas isso não me tornou menos digna em nenhum dos dias, desde que nasci. É por isso que não posso ficar em silêncio, numa altura em que nos preocupamos em como ajudar os outros a morrer.

Eutanásia: Interrupção Voluntária do Amor (IVA)

Nestas últimas semanas, estou em visita pastoral às paróquias mais pequenas do arciprestado de Cabeceiras de Basto. No contexto atual de debate sobre a eutanásia, tenho procurado saudar ainda com mais respeito e carinho os idosos que encontro nos Centros de Convívio, em suas casas ou na Igreja Paroquial na celebração do Sacramento da Unção dos Doentes.