Avançar para o conteúdo principal

Arciprestado de Famalicão festejou o Dia da Família




A Equipa da Pastoral Familiar do Arciprestal de Famalicão promoveu, no passado dia 17 de maio, o Dia da Família, com o intuito de fazer festa e exteriorizar a alegria pelo dom do casamento, materializado naqueles casais que festejam, ao longo de 2015, as suas Bodas de Prata, Ouro e Diamante.
Tratou-se de uma singela homenagem do arciprestado a todos os casais e às suas famílias. Com a celebração da Eucaristia, na Matriz Nova de Vila Nova de Famalicão e a renovação dos compromissos matrimoniais dos cinco casais presentes que aceitaram o convite para dar testemunho que o sacramento do matrimónio é o caminho de santificação e de felicidade dos esposos e dos seus filhos e celebrar as Bodas de Prata, de Ouro e de Diamante. Esta homenagem finalizou com uma confraternização, onde houve alegria, partilha, bolo e champanhe.
A Equipa Arciprestal da Pastoral Familiar agradece e felicita todos os casais que aceitaram este desafio e, que com o seu exemplo, testemunham que uma família constituída à imagem da Família de Nazaré é o garante de uma sociedade bem estruturada, construtora de desenvolvimento sadio, capaz de gerar homens e mulheres realizados e felizes.

Equipa da Pastoral Familiar do Arciprestal
de Vila Nova de Famalicão

Mensagens populares deste blogue

Conselhos do Papa Francisco para ir à Missa com crianças

Choros ou gritos das crianças podem atrapalhar, mas a comunidade deve incentivar a participação de toda família.
“Chata!” Respondi à minha avó quando me perguntou sobre o que eu havia achado da Missa. Na época, eu tinha uns seis anos. E olha que cresci em uma família católica, frequentando Missas e catequeses! Recordo que ir à Missa, muitas vezes, representava uma soneca durante a  homilia, pipocas doces e coloridas ou sorvete no fim. Confesso que minha participação não era exemplar, porém, creio que essa liberdade na participação foi ajudando a semear a fé em meu coração e em minha mente.

A mulher é quem dá harmonia ao mundo, não está aqui para lavar louça

O Pontífice indicou que é necessário evitar se referir à mulher falando somente sobre a função que realiza na sociedade ou em uma instituição, sem levar em consideração que a mulher, na humanidade, realiza uma missão que vai além e que nenhum homem pode oferecer: “O homem não traz harmonia: é ela. É ela que traz a harmonia, que nos ensina a acariciar, a amar com ternura e que faz do mundo uma coisa bela”. Em sua reflexão sobre a Criação, a partir da leitura do Livro do Gênesis, o Papa Francisco se referiu ao papel da mulher na humanidade.

Oração de ação de graças a Deus pelo dom da Família -