Avançar para o conteúdo principal

Às mulheres que constroem uma sociedade mais humana

Aos milhares de fiéis reunidos na Praça de S. Pedro para a oração mariana do Angelus o Papa Francisco comentou o Evangelho deste 3° domingo da Quaresma que nos apresenta, disse, o episódio da expulsão dos vendedores do templo, um gesto que despertou forte impressão nas pessoas e nos discípulos, e apareceu como gesto profético, tanto que alguns dos presentes perguntaram a Jesus que sinal divino, prodigioso tinha e que o qualificasse como enviado de Deus.
Ele respondeu: "Destruí este templo, e em três dias eu o levantarei". Eles responderam-lhe dizendo o templo havia levado 46 anos a construir e ele o levantaria em três dias?".
Eles não tinham entendido de que o Senhor se referia ao templo vivo de seu corpo, que seria destruído com a morte na cruz, mas que ressuscitaria ao terceiro dia, explicou o Papa Francisco acrescentando:
“Na verdade, este gesto de Jesus e a sua mensagem profética percebem-se totalmente à luz da sua Páscoa. Temos aqui, segundo João, o primeiro anúncio da morte e ressurreição de Cristo: o seu corpo, destruído na cruz pela violência do pecado, se transformará na Ressurreição no lugar de encontro universal entre Deus e os homens. Por isso, a sua humanidade é o verdadeiro templo, onde Deus se revela, fala, se faz encontrar; e os verdadeiros adoradores de Deus não são os guardiões do templo material, os detentores do poder e do saber religioso, mas aqueles que adoram a Deus "em espírito e verdade".
E o Papa continuou sublinhando que neste tempo quaresmal nos preparamos para a celebração da Páscoa, quando renovaremos as promessas do nosso Baptismo. Quando caminhamos no mundo como Jesus e fazemos de toda a nossa existência um sinal do seu amor pelos nossos irmãos, especialmente os mais fracos e os mais pobres, então nós construímos para Deus um templo na nossa vida, e assim, o tornamos "acessível" para muitas pessoas que encontramos no nosso caminho. E a este ponto o Papa convidou a a cada um dos presentes a perguntar-se:
“Mas – perguntemo-nos - o Senhor sente-se verdadeiramente em casa na minha vida? Permito-lhe fazer "limpeza" no meu coração e expulsar os ídolos (ou seja, aquelas atitudes de ganância, ciúmes, mundanidade, inveja, ódio, aquelas atitudes de bisbilhotice …) que talvez lá se instalaram? A misericórdia é o seu modo de fazer limpeza. Abramos-lhe a porta para que faça limpeza dentro de nós”.
E o Papa prosseguiu reiterando que cada Eucaristia que celebramos com fé nos faz  crescer como templo vivo do Senhor, graças à comunhão com o seu Corpo, crucificado e ressuscitado, e também que Jesus conhece o que está em cada um de nós, e conhece o nosso desejo mais ardente: ser habitados por Ele, só por Ele.E invocou Maria Santíssima, morada privilegiada do Filho de Deus, para que nos acompanhe e sustente no itinerário quaresmal, para que possamos redescobrir a beleza do encontro com Cristo, que nos liberta e nos salva.
Depois do Angelus o Papa dirigiu uma cordial saudação aos fiéis de Roma e a todos os peregrinos provenientes vindos de várias partes do mundo, tendo saudado em particular os fiéis de Curitiba (Brasil); os grupos paroquiais de Treviso, Génova, Crotone,  Aquila e da zona de Domodossola, e os rapazes de Garda, que receberam o Crisma. E convidou a todos, especialmente durante esta Quaresma, a estarem mais próximos das pessoas que estão a viver momentos de dificuldade: próximos com o afecto, a oração e a solidariedade. E sobre o Dia Internacional da Mulher disse o Papa Francisco:
“Hoje, 8 de Março, uma saudação a todas as mulheres que em cada dia procuram construir uma sociedade mais humana e acolhedora. Um obrigado fraterno também àquelas que em mil modos testemunham o Evangelho e trabalham na Igreja”. E esta é para nós uma ocasião para reafirmar a importância das mulheres e a necessidade da sua presença na vida. Um mundo onde as mulheres são marginalizadas é um mundo estéril, porque as mulheres não apenas trazem a vida mas nos transmitem a capacidade de olhar mais além, a capacidade de entender o mundo com olhos diferentes, de sentir as coisas com um coração mais criativo, mais paciente, mais terno. Uma oração e uma bênção particular para todas as mulheres aqui presentes na Praça e para todas as mulheres. Uma saudação”

  E concluiu desejando a todos um bom domingo e um bom almoço (BS)

in http://pt.radiovaticana.va/news/2015/03/08/papa_saúda_mulheres_que_constrõem_uma_sociedade_mais_humana/1127920

Mensagens populares deste blogue

Conselhos do Papa Francisco para ir à Missa com crianças

Choros ou gritos das crianças podem atrapalhar, mas a comunidade deve incentivar a participação de toda família.
“Chata!” Respondi à minha avó quando me perguntou sobre o que eu havia achado da Missa. Na época, eu tinha uns seis anos. E olha que cresci em uma família católica, frequentando Missas e catequeses! Recordo que ir à Missa, muitas vezes, representava uma soneca durante a  homilia, pipocas doces e coloridas ou sorvete no fim. Confesso que minha participação não era exemplar, porém, creio que essa liberdade na participação foi ajudando a semear a fé em meu coração e em minha mente.

A mulher é quem dá harmonia ao mundo, não está aqui para lavar louça

O Pontífice indicou que é necessário evitar se referir à mulher falando somente sobre a função que realiza na sociedade ou em uma instituição, sem levar em consideração que a mulher, na humanidade, realiza uma missão que vai além e que nenhum homem pode oferecer: “O homem não traz harmonia: é ela. É ela que traz a harmonia, que nos ensina a acariciar, a amar com ternura e que faz do mundo uma coisa bela”. Em sua reflexão sobre a Criação, a partir da leitura do Livro do Gênesis, o Papa Francisco se referiu ao papel da mulher na humanidade.

Oração de ação de graças a Deus pelo dom da Família -