Avançar para o conteúdo principal

Sínodo da Família - Desafio do Sr Arcebispo D. Jorge Ortiga

Em dia da Sagrada Família, o Arcebispo Primaz apela a que os Lineamenta do Sínodo da Família sejam estudados e as 46 questões aí colocadas sejam respondidas. 

A família, mais do que nunca, tem sido tema de diálogo e de debate. Nem sempre de um modo adequado e com fidelidade à verdadeira doutrina. Os problemas são variados e a Igreja confia aos católicos a corresponsabilidade de encontrar respostas.
O Sínodo dos Bispos percorreu uma etapa e quer, agora, dar continuidade a esse impulso inicial. Quer discernir em estilo sinodal – envolvendo toda a Igreja – os caminhos para propor a doutrina através do anúncio do Evangelho da Família e da consciencialização das diversas perspectivas pastorais a serem acolhidas e activadas nas nossas comunidades cristãs.
Nesta corresponsabilidade eclesial, quero solicitar aos sacerdotes, aos membros dos Institutos de Vida Consagrada, às diversas associações e movimentos que procurem reflectir, pessoalmente e em grupo, sobre os Lineamenta e responder às 46 questões aí colocadas. O texto encontra-se na página web da Arquidiocese de Braga (www.diocese-braga.pt) em formato Word e PDF. O assunto deve depois ser abordado nas palestras, no Conselho Pastoral e Presbiteral, assim como nas diferentes reuniões marcadas para o efeito.
As respostas devem ser enviadas para o Secretário da Acção pastoral (sergiotorres70@gmail.com).
Que esta caminhada sinodal sobre a vocação e a missão da família na Igreja e no mundo contemporâneo envolva e comprometa a todos numa serena reflexão típica de quem procura dar um contributo positivo num assunto de primordial importância para o presente e futuro da família.

+ Jorge Ortiga, Arcebispo Primaz
in http://diocese-braga.pt/noticia/1/5617 

Mensagens populares deste blogue

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis...

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis como medida de controlo dos cães e gatos vadios. Governo pode vir a estender prazo, porque maioria dos canis não sofreu obras. Em 31 concelhos nem sequer existem.

E se ajudássemos os outros a viver?

Nunca fui autónoma, mas isso não me tornou menos digna em nenhum dos dias, desde que nasci. É por isso que não posso ficar em silêncio, numa altura em que nos preocupamos em como ajudar os outros a morrer.

Eutanásia: Interrupção Voluntária do Amor (IVA)

Nestas últimas semanas, estou em visita pastoral às paróquias mais pequenas do arciprestado de Cabeceiras de Basto. No contexto atual de debate sobre a eutanásia, tenho procurado saudar ainda com mais respeito e carinho os idosos que encontro nos Centros de Convívio, em suas casas ou na Igreja Paroquial na celebração do Sacramento da Unção dos Doentes.