Avançar para o conteúdo principal

Família: o mais belo presente de Natal!


Família! O maior é mais belo valor do Natal! Um tesouro a cultivar e preservar. Tudo dela nasce e para ela se orienta. Há mais luz na família unida e reunida do que em qualquer enfeite luminoso de Natal. 

Porque será? Na verdade a Família é algo que não sabemos explicar! Não há palavras que digam tudo o que é a Família e o que ela faz em cada um de nós. Às vezes maravilhas... outras estragos... Mas o que é certo é que não podemos viver sem a Família. Se nada mais houver no mundo, se tudo parecer cair e se eu tiver muita dificuldade em me levantar, a família acaba por ser sempre o lugar onde posso repousar e descansar, o meu porto de abrigo, o meu refúgio

O Natal não é memória de um sonho fantástico, nem sequer a representação simbólica de um futuro impossível… O Natal é a realidade atual de cada Família. Se pensarmos no que se passou com Maria e José, desde a concepção de Jesus, passando pelo seu nascimento e por tudo o que ele gerou de reboliço na cidade e nas autoridades, até à sua fuga para o Egito, percebemos que estamos a viver o mesmo mistério e ao mesmo tempo a mesma aventura de um horizonte aberto, onde o impossível acontece

Não te esqueças, tu não tens Família, tu és Família!

Valoriza o que és, procura a essência e não a evidência, caminha no horizonte do mistério da vida, abre-te ao impossível, e deixa-te guiar pela luz da Fé no menino, Deus connosco, maravilha da eternidade entre a nossa humanidade.

Para um pouco! Contempla o presépio! O que encontras ou que vês? Nada de especial e ao mesmo tempo tudo! Sim tudo que vês e contemplas o vês e contemplas na tua Família. Para um pouco! Contempla e vê com o coração! O essencial é invisível aos olhos.

Equipa Arciprestal de Pastoral Familiar de Vila Nova de Famalicão

Mensagens populares deste blogue

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis...

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis como medida de controlo dos cães e gatos vadios. Governo pode vir a estender prazo, porque maioria dos canis não sofreu obras. Em 31 concelhos nem sequer existem.

E se ajudássemos os outros a viver?

Nunca fui autónoma, mas isso não me tornou menos digna em nenhum dos dias, desde que nasci. É por isso que não posso ficar em silêncio, numa altura em que nos preocupamos em como ajudar os outros a morrer.

Eutanásia: Interrupção Voluntária do Amor (IVA)

Nestas últimas semanas, estou em visita pastoral às paróquias mais pequenas do arciprestado de Cabeceiras de Basto. No contexto atual de debate sobre a eutanásia, tenho procurado saudar ainda com mais respeito e carinho os idosos que encontro nos Centros de Convívio, em suas casas ou na Igreja Paroquial na celebração do Sacramento da Unção dos Doentes.