Avançar para o conteúdo principal

Sínodo: Bispos portugueses analisam resultados do inquérito

Contributos para a próxima assembleia extraordinária revelam «dificuldades em transmitir a fé» nas famílias.

O porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) disse hoje em Fátima que os resultados do inquérito do Vaticano sobre a família indicam, no contexto nacional, que as famílias “têm dificuldade em transmitir a fé e até os valores morais”.
“Muitas vezes endossa-se à Escola os valores morais e os princípios éticos e que a Igreja faça a educação religiosa e catequética”, quando “o ambiente para transmitir toda a espécie de valores” deve ser “o ambiente da própria família”, referiu o padre Manuel Morujão.
O questionário que a Santa Sé remeteu às dioceses de todo o mundo, subordinado ao tema “Os desafios pastorais da família no contexto da evangelização”, foi abordado pelo sacerdote no final da reunião do Conselho Permanente da CEP, que decorreu na Casa de Nossa Senhora das Dores.
Em declarações aos jornalistas, o padre Manuel Morujão saudou “a grande adesão” que o projeto registou, com a participação de “milhares de pessoas e grupos, mais ou menos ligados à Igreja”, o que revelou também uma preocupação geral em “melhorar a família”, enquanto um “bem de toda a sociedade”.
Neste momento, “quase todas as dioceses portuguesas deram a sua resposta” e os dados estão a ser trabalhados e resumidos.
“Um grupo de três pessoas do secretariado permanente da CEP vai fazer essa síntese, esperamos que até ao fim do mês possamos ter esse trabalho terminado”, adiantou o porta-voz.
Recorde-se que os dados do inquérito vão estar em debate numa assembleia extraordinária do Sínodo dos Bispos, no Vaticano, entre os dias 5 e 19 de outubro deste ano.
Apesar do conteúdo das respostas estar reservado, sobretudo para uma análise a ser feita durante aquele evento, o sacerdote destacou ainda o “clima de esperança” que “também se nota nas respostas”, num tempo marcado por dificuldades económicas e sociais.
Os dados permitem perceber que as pessoas acreditam que “a família que têm pode ser melhor, que as dificuldades não são intransponíveis nem eternas”, apontou o padre Manuel Morujão.
Temas como a “União de pessoas do mesmo sexo”, a “Educação dos filhos no contexto de situações matrimoniais irregulares” e o “Matrimónio segundo a lei natural” também foram incluídos no lote de perguntas remetidas às famílias.
Sobre estas questões mais fraturantes, o porta-voz da CEP adiantou que a linha seguida por aqueles que participaram no inquérito apontou para a necessidade de uma Igreja “mais inclusiva, mantendo naturalmente as regras fundamentais, porque a Igreja tem o dever de se atualizar, não de se reinventar”.
A próxima reunião do conselho permanente da CEP está marcada para dia 12 de fevereiro em Setúbal, para marcar também "os 25 anos de bispo" de D. Gilberto dos Reis.
O padre Manuel Morujão recordou ainda que entre os dias 29 de abril e 1 de maio vai decorrer em Fátima a assembleia plenária dos bispos portugueses, que será marcada por "eleições em todos os órgãos da Conferência", incluindo o cargo de presidente, que está atualmente a ser desempenhado pelo patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente.
Na mesma reunião, os bispos vão apresentar uma reflexão sobre a "renovação da catequese".


Fátima, Santarém, 14 jan 2014 (Ecclesia)

Mensagens populares deste blogue

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis...

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis como medida de controlo dos cães e gatos vadios. Governo pode vir a estender prazo, porque maioria dos canis não sofreu obras. Em 31 concelhos nem sequer existem.

E se ajudássemos os outros a viver?

Nunca fui autónoma, mas isso não me tornou menos digna em nenhum dos dias, desde que nasci. É por isso que não posso ficar em silêncio, numa altura em que nos preocupamos em como ajudar os outros a morrer.

Eutanásia: Interrupção Voluntária do Amor (IVA)

Nestas últimas semanas, estou em visita pastoral às paróquias mais pequenas do arciprestado de Cabeceiras de Basto. No contexto atual de debate sobre a eutanásia, tenho procurado saudar ainda com mais respeito e carinho os idosos que encontro nos Centros de Convívio, em suas casas ou na Igreja Paroquial na celebração do Sacramento da Unção dos Doentes.