Avançar para o conteúdo principal

Proposta litúrgica para o DIA DO PAI - Solenidade de São José



Dia do Pai
19 de Março de 2013

LITURGIA: própria do dia
DINÂMICA QUARESMAL: Este é o tempo de…
  
PROPOSTA LITÚRGICA
1. Os acólitos e o Leitores podem ser pais e ou filhos.
2. O coro poderá ser animado pelas crianças e adolescentes da catequese e pelos jovens.
3. Criar uma equipa de Acolhimento e à entrada da Igreja entregar a cada Pai uma vela.
4. Propomos valorizar e salientar o Rito Penitencial, deslocando-o para o final da Homilia. Nele queremos fazer memória dos compromissos assumidos no dia do casamento ("Estais dispostos a receber amorosamente os filhos como dom de Deus e a educá-los segundo a lei de Cristo e da sua Igreja?") e do batismo dos filhos ("Caríssimos pais: Pedistes o Batismo para os vossos filhos. Deveis educá-los na fé, para que, observando os mandamentos, amem a Deus e ao próximo, como Cristo nos ensinou. Estais conscientes do compromisso que assumis?").

RITO PENITENCIAL

[Sacerdote] Irmãos e irmãs, neste tempo favorável da quaresma, a Igreja coloca-nos diante da figura de São José, pai adoptivo de Jesus. A sua confiança em Deus fez dele uma referência para nós. Também agora nós nos colocamos diante de Deus e esperamos a sua misericórdia. Que ela venha sobre nós e sobre cada um dos pais da nossa comunidade.

- Senhor, porque muitas vezes não acolhemos e recebemos amorosamente os filhos como um Dom nem os educamos segundo a alegria e esperança do Evangelho nem segundo o teu mandamento novo. Nós te pedimos: Senhor tende piedade de nós!

- Cristo, porque pedimos o batismo para os nossos filhos mas não vivemos segundo a fé que professamos, nós te pedimos: Cristo, tende piedade de nós!


- Senhor, porque muitas vezes não educamos na fé, não observamos os mandamentos, não amamos a Deus e ao próximos como nos ensinastes, nós te pedimos: Senhor, tende piedade de nós!

[Sacerdote]Deus todo poderoso, cheio de ternura e misericórdia, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Amem!

 (A vela recebida à entrada da Igreja vai agora ser acesa. Com ela acesa recordamos o papel dos pais na perseverança da fé e no desejo de que a mesma fé que se iniciou nos seus filhos no dia do batismo não se extinga por negligência deles.)

[Sacerdote] caríssimos pais professar a fé é reconhecer o amor de Deus e a nossa condição de seus filhos muito amados. A cada um de vós se confiou o encargo de velar pela fé dos vossos filhos, simbolizada na chama da vela do batismo, para que eles, ilumi­nados por Cristo, vivam sempre como filhos da luz, perseverem na fé e, quando o Senhor vier, possam ir ao seu encontro com todos os Santos, no reino dos céus. Hoje, convido-vos a reviver e avivar a vossa fé e o vosso compromisso. Ao acendermos de novo a chama da fé estamos a tomar consciência da importância da fé para a nossa vida e a vida de todos os que nos rodeia.

(Acender a vela - O sacerdote depois da introdução, vai ao sírio Pascal e acende alguns pavios entregando-os a alguns pais, os quais depois, irão acender as velas dos restantes… Entretanto o coroa canta um cântico alusivo ao momento. Depois de acesas todas as velas, reza-se a forma batismal do Credo.)

[Sacerdote]Credes em Deus, Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra?
[Todos] Sim, creio.

[Sacerdote]Credes em Jesus Cristo, seu único Filho, Nosso Senhor, que nasceu da Virgem Maria, padeceu e foi sepultado, ressuscitou dos mortos e está sentado à direita do Pai?
[Todos] Sim, creio.

[Sacerdote]Credes no Espírito Santo, na santa Igreja católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne e na vida eterna?
[Todos] Sim, creio.

[Sacerdote]Esta é a nossa fé. Esta é a fé da Igreja, que nos gloriamos de professar, em Jesus Cristo, Nosso Senhor.
Amém!

ORAÇÃO UNIVERSAL

[Sacerdote] Deus Pai, que aqui nos uniu em oração, fala-nos ao coração e ilumina-nos com a Palavra de Seu Filho Jesus. Dirijamos para Ele o nosso olhar e manifestemos a confiança que temos n’Ele, dizendo:

Senhor, reavivai em nós o dom do Baptismo!


1. Pelo Papa Francisco, para que anuncie com desassombro e alegria,
com simplicidade e inovação, o grande dom da fé, da esperança e da caridade e seja um verdadeiro Pai que ama esta igreja,
oremos, irmãos.

2. Pelos pais presentes nesta assembleia,
para que a palavra de Deus ressoe nos seus corações
e os guie para o bem e para a verdade,
oremos, irmãos.

3. Para que os filhos não desprezem os conselhos dos seus pais
e para que os pais apreciem e respeitem
a vocação própria dos seus filhos,
oremos, irmãos.

4. Pelos que têm fé e lutam por mais justiça e bem estar,
para que o façam segundo o Evangelho
e descubram em Cristo a luz do mundo,
oremos, irmãos.

5. Pelos pais que não têm pão para os seus filhos,
pelos que esperam que o dia de amanhã seja melhor
e pelos que já perderam toda a esperança,
oremos, irmãos.

6. Para que os pais cristãos promovam a cultura dos seus filhos
e façam de Deus o seu tesouro
e fonte de luz,
oremos, irmãos.  

[Sacerdote] Aceita, Senhor Deus, nosso Pai, a expressão da nossa fé e ajuda-nos a viver segundo a Tua vontade de Pai. PNSJC. Amén.
 

Mensagens populares deste blogue

Conselhos do Papa Francisco para ir à Missa com crianças

Choros ou gritos das crianças podem atrapalhar, mas a comunidade deve incentivar a participação de toda família.
“Chata!” Respondi à minha avó quando me perguntou sobre o que eu havia achado da Missa. Na época, eu tinha uns seis anos. E olha que cresci em uma família católica, frequentando Missas e catequeses! Recordo que ir à Missa, muitas vezes, representava uma soneca durante a  homilia, pipocas doces e coloridas ou sorvete no fim. Confesso que minha participação não era exemplar, porém, creio que essa liberdade na participação foi ajudando a semear a fé em meu coração e em minha mente.

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

A mulher é quem dá harmonia ao mundo, não está aqui para lavar louça

O Pontífice indicou que é necessário evitar se referir à mulher falando somente sobre a função que realiza na sociedade ou em uma instituição, sem levar em consideração que a mulher, na humanidade, realiza uma missão que vai além e que nenhum homem pode oferecer: “O homem não traz harmonia: é ela. É ela que traz a harmonia, que nos ensina a acariciar, a amar com ternura e que faz do mundo uma coisa bela”. Em sua reflexão sobre a Criação, a partir da leitura do Livro do Gênesis, o Papa Francisco se referiu ao papel da mulher na humanidade.