Avançar para o conteúdo principal

DIA dos AVÓS

Hoje é o dia dos Avós. Também este é o dia de Santa Ana e de São Joaquim, pais de Maria - Nossa Senhora e avós de Jesus.
Neste dia relembramos todos os avós, reconhecendo o seu papel primordial na família e na sociedade.
É relevante valorizar a importância dos avós na educação e na transmissão de saber e de valores às novas gerações.
Ouvimos com frequência dizer que os avós são os segundos pais porque já passaram pela experiência de educar os seus filhos e perante os netos não têm necessariamente esse dever, mas sim o de conviver, de amar, de apoiar e de orientar.
A convivência com os netos possibilita a transmissão dos conhecimentos e a sabedoria da história familiar numa fase da vida mais despreocupada, mais sábia e mais madura. É um momento para usufruir da presença dos netos, gerando neles um espaço de crescimento social e emotivo.
Por vezes, os netos sentem-se mais à vontade com os seus avós para falarem de certos temas em vez de o fazerem com os pais. Os avós podem ouvir, esclarecer, clarificar e orientar os seus netos. Fomentando um diálogo sincero, sério e aberto entre todos.
O relacionamento entre pais e filhos é muito diferente do relacionamento entre avós e netos. Os filhos não podem esperar dos seus pais o mesmo comportamento que tiveram com eles quando eram crianças. No entanto, devem proporcionar tempo para que haja um convívio alegre e sadio entre os avós e os netos. Possibilitando brincadeiras, momentos alegres e agradáveis entre ambos, momentos que não se esquecem…
A relação de afecto, cumplicidade e carinho entre avós e netos marca a vida dos netos, com lembranças positivas e enriquecedoras.
Da mesma forma que dá jeito que os nossos pais fiquem com os nossos filhos quando vamos trabalhar, também devemos criar rotinas para podermos estar com eles e em família. Criar momentos para ouvir os mais velhos, para os visitar, para levar alguma da nossa ternura e valorizar a sua vida de esforço e dedicação para o bem de todos. Devemos criar mais proximidade com eles e alargar esta presença a todos os membros da família: avós, pais, filhos e netos. Gerando vínculos entre estas várias gerações. Marcando vantagens para a família e para a sociedade.
Seria bom que todas as famílias dedicassem um pouco do seu tempo aos mais velhos, sem pressas nem problemas. Tempo com qualidade e alegria. Tempo para pensar e reflectir a família que somos. Tempo para agir e mudar a família que pretendemos ser. Tempo para festejar e brindar à família. Tempo para agradecer a Deus a família onde nascemos!  
Parabéns a todos os Avós!
Equipa da Pastoral Familiar Arciprestal 

Mensagens populares deste blogue

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis...

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis como medida de controlo dos cães e gatos vadios. Governo pode vir a estender prazo, porque maioria dos canis não sofreu obras. Em 31 concelhos nem sequer existem.

E se ajudássemos os outros a viver?

Nunca fui autónoma, mas isso não me tornou menos digna em nenhum dos dias, desde que nasci. É por isso que não posso ficar em silêncio, numa altura em que nos preocupamos em como ajudar os outros a morrer.

Eutanásia: Interrupção Voluntária do Amor (IVA)

Nestas últimas semanas, estou em visita pastoral às paróquias mais pequenas do arciprestado de Cabeceiras de Basto. No contexto atual de debate sobre a eutanásia, tenho procurado saudar ainda com mais respeito e carinho os idosos que encontro nos Centros de Convívio, em suas casas ou na Igreja Paroquial na celebração do Sacramento da Unção dos Doentes.