Avançar para o conteúdo principal

Ser como São José

Era cedo e estava a amanhecer. Estava embrulhada numa manta enquanto cantava. Algo me dizia para seguir em frente, para me entregar. Sempre tinha procurado nos outros as respostas, a ajuda para caminhar, para seguir em frente e descobrir o que poderia vir a seguir. Nada ajudou.


Parei de pensar nos outros. Parei de pensar nos ses, nos mas e nos depois. Ao parar chorei. Chorei as dores que carregava em mim e às quais ainda não tinha dado espaço. Deixei a dor doer e a resposta que procurava saiu sem que o planeasse.

Muito foi o peso que carregava. Foi então que se deteve na minha mente a certeza de que “todos os dons que me destes com gratidão vos devolvo. Disponde deles, Senhor, segundo a vossa vontade” (Santo Inácio de Loyola). Detive-me na certeza que Deus me ama como sou. Foi com essa simplicidade de simplesmente ser que disse o meu sim. Foi com a certeza que “carregamos dentro de nós as coisas extraordinárias que procuramos à nossa volta” (Thomas Browne).

Ao longo deste caminhar muitas são as caídas e as dúvidas, nesses momentos refugio-me no compromisso que fiz de ser como São José. São José aceitou a missão que Deus lhe confiou ainda que com muito medo, anseios e dúvidas sobre como iam ser as coisas. Mas ousou dizer o seu sim sem ses, mas ou outras condições. Mas o que me enternece em São José é saber aparece mencionado na bíblia muito poucas vezes e raras são as vezes em que nos lembramos dele como parte da encarnação de Jesus ao mundo. São José é muitas vezes o santo desconhecido. São José lembra-me a passagem em que Comboni convida os seus missionários a serem como pedras escondidas. São José é um missionário e um exemplo do que é ser pedra escondida. São José inspira-me em cada dia a dizer o meu sim como ele permitindo-me ser pedra escondida debaixo do chão, princípio de um novo reino de amor.

Papa Francisco diz-nos “não estamos chamados a exceder o Senhor, nem com as nossas obras, nem com as nossas missões, nem com as intermináveis atividades que temos de fazer. (…) Simplesmente nos é pedido para trabalhar com o Senhor, lado a lado, mas sem nunca esquecer que não ocupamos o seu lugar”. São José ensina-me e impele-me em cada dia a fazer a minha parte confiando em Deus como se não tivesse feito nada (Santo Inácio de Loyola).

Por Paula Ascenção

IMISSIO

Mensagens populares deste blogue

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis...

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis como medida de controlo dos cães e gatos vadios. Governo pode vir a estender prazo, porque maioria dos canis não sofreu obras. Em 31 concelhos nem sequer existem.

E se ajudássemos os outros a viver?

Nunca fui autónoma, mas isso não me tornou menos digna em nenhum dos dias, desde que nasci. É por isso que não posso ficar em silêncio, numa altura em que nos preocupamos em como ajudar os outros a morrer.

Eutanásia: Interrupção Voluntária do Amor (IVA)

Nestas últimas semanas, estou em visita pastoral às paróquias mais pequenas do arciprestado de Cabeceiras de Basto. No contexto atual de debate sobre a eutanásia, tenho procurado saudar ainda com mais respeito e carinho os idosos que encontro nos Centros de Convívio, em suas casas ou na Igreja Paroquial na celebração do Sacramento da Unção dos Doentes.