Avançar para o conteúdo principal

Aqueles que ninguém quer escutar

Há pessoas que não têm quem as oiça… Esta ausência de amor não é tristeza, é algo bem mais profundo.
No mundo de hoje estamos cada vez mais fechados e julgamo-nos confortáveis nesse nosso comodismo. Chegamos mesmo a pensar que os problemas do mundo acabam quando desligamos a televisão. Esta ilusão de que comandamos a realidade, dá-nos a falsa convicção de que são os outros que precisam de nos ouvir, e não nós a eles.
É preciso lutar muito para que cada um de nós seja capaz de se evadir da prisão onde está só.

Em qualquer caso, não basta ouvir, é preciso aprender a escutar o outro, nos seus espaços, tempos e modos. Com humildade, aprender com ele...valorizá-lo ao ponto de reconhecer, nos sucessos e fracassos, possibilidades de nos enriquecer.
E importa mais ainda escutar quando não há palavras. Os silêncios íntimos enchem-se de luz quando são partilhados, quando alguém está ali, connosco. Juntos. Unidos na presença. Uma partilha do mesmo espaço, do mesmo tempo e do mesmo modo de dizer o que se pensa e sente...um silêncio pleno de emoção e verdade que a ninguém deixa indiferente. Por vezes, os amigos, mesmo os que já morreram, parecem não estar, mas estão. Sempre de forma consistente e autêntica, estão e são. São o que somos, porque querem ser connosco... o mesmo que nós.

Há quem nos consiga escutar, sendo capaz de o fazer sem se aborrecer. Sem sequer nos interromper para nos contar os seus problemas, medos e angústias. A estes, nenhum elogio é bastante! Mas, por vezes… estes são aqueles que ninguém quer escutar.

Veja aqui o original

Mensagens populares deste blogue

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

Mais de 46 pares de noivos preparam matrimónio em Famalicão

Iniciaram a sua preparação para o casamento no passado domingo, dia 15 de abril, no Centro Social e Paroquial de Ribeirão, 46 pares de noivos, sob a orientação de uma equipa de seis casais oriundos das paróquias de Esmeriz, Fradelos, Lousado e Ribeirão, bem como do assistente deste CPM, o padre António Machado, pároco das freguesias de Fradelos e de Vilarinho das Cambas. A equipa é coordenada pelo casal Ana Maria Almeida e Adão Manuel Rocha, da paróquia de Ribeirão.

Mãe, obrigado!

Mãe, Tu, Que a partir do momento que aceitaste o dom da vida, Desde da fecundação do teu filho… até hoje, Todas os dias, Ao longo da tua vida, Sempre. Sem nunca deixares de te preocupar, Estiveste sempre ao seu lado.