Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Outubro, 2015

Terceira idade à luz do filme "Um senhor estagiário"

Onde não há honra pelos idosos, não há porvir para os jovens. 

Não desprezes os ensinamentos dos anciãos, dado que eles os aprenderam com os seus pais. Estudarás com eles o conhecimento e a arte de responder de modo oportuno.” (Eclo 8, 11-12)

Sinopse:A história acompanha Jules (Anne Hathaway), uma bem-sucedida dona de um site de moda, que é abalada pela notícia de que terá que contratar um estagiário. Por uma questão social, os idosos precisam voltar a ativa. Nesse contexto, a moça passa a contar com Ben (Robert de Niro), um senhor de 70 anos que busca novos desafios. O filme tem dois atores consagrados, Robert de Niro (72 anos) e Anne Hathaway (32 anos) fazendo papéis de personagens com idades semelhantes às deles, mas com realidades diferentes.

O Sínodo dos bispos sobre a família explicado aos filhos, em nove pontos

No domingo passado, um dos meus filhos perguntou-me à queima-roupa: «Porquê esse Sínodo era tão importante? Três semanas para dizer o quê?» Eu aceitei o desafio, tentando não "cair na fácil repetição do que é indiscutível ou já foi dito", ou tentando não usar "uma linguagem arcaica ou simplesmente não compreensível", em nove pontos.
1) A Igreja do Papa Francisco ama os homens e as mulheres de hoje, com as suas qualidades (a sua busca de liberdade e credibilidade) e com os seus defeitos (o individualismo e a falta de planeamento em que muitas vezes se atolam as relações entre as pessoas); e assim também as famílias. Na Igreja, porém, há os nostálgicos, ou seja, aqueles que voltam o olhar para o passado, imaginando-o como um paraíso perdido e pensando que podem empurrar os ponteiros do relógio para trás ao som de batalhas e de slogans.

Presidente delegado do Sínodo confirma que discernimento «pode chegar até à comunhão» de recasados.

O arcebispo da Aparecida, no Brasil, o Cardeal Raymundo Damasceno, declarou ontem à Família Cristã e à Agência Ecclesia que o caminho de discernimento que os casais divorciados recasados fazem com o seu confessor ou orientador espiritual pode «chegar até à comunhão e à confissão». «No contacto com um ou com outro casal que deseje ser acompanhado», e depois de «um discernimento sobre a sua situação», «quem sabe, num caso ou noutro, chegar até à comunhão e à confissão», confirmou o cardeal, em declarações proferidas em Roma, no final da missa conclusiva do Sínodo dos Bispos, que decorreu em Roma nas passadas três semanas. O cardeal brasileiro explica que o «Sínodo não tomou nenhuma decisão» geral sobre o assunto, antes determinando que cada caso seja avaliado individualmente. «O Sínodo fala muito do discernimento, porque cada caso é um caso. Não podemos generalizar as situações dos casais que vivem uma segunda união, porque cada um tem uma situação muito concreta, muito especial, com tod…

Família: Relatório final propõe prática do «Discernimento» nas comunidades

O cardeal Christoph Schönborn, arcebispo de Viena, disse hoje no Vaticano que o Sínodo dos Bispos sobre a família propõe critérios de «discernimento» sobre situações como as dos divorciados em segunda união. Em conferência de imprensa, o presidente da Conferência Episcopal da Áustria referiu que o relatório final da assembleia, com votação marcada para esta tarde, «dá critérios não só para a questão do acesso aos Sacramentos mas para o acompanhamento de situações que o Catecismo chama irregulares». Especificamente sobre os divorciados que voltaram a casar civilmente, os participantes falaram com «com grande atenção», sem tocar a questão do acesso à Comunhão de forma «direta», mas com «a palavra chave discernimento». «Não há preto e branco, sim ou não», acrescentou. Esta apresentação traz «critérios fundamentais» para o «discernimento das situações» que são em muitos casos «tremendamente diferentes», sem as «julgar». «A própria palavra do Papa João Paulo II na Familiaris Consortio, diz …

Mensagem final do Papa no Sínodo sobre a Família

Na sessão final do Sínodo dos Bispos sobre a Família o Papa Francisco dirigiu-se aos padres sinodais numa mensagem que publicamos na íntegra.

Amadas Beatitudes, Eminências, Excelências, Queridos irmãos e irmãs!
Quero, antes de mais, agradecer ao Senhor por ter guiado o nosso caminho sinodal nestes anos através do Espírito Santo, que nunca deixa faltar à Igreja o seu apoio. Agradeço de todo o coração ao Cardeal Lorenzo Baldisseri, Secretário-Geral do Sínodo, a D. Fabio Fabene, Subsecretário e, juntamente com eles, agradeço ao Relator, o Cardeal Peter Erdö, e ao Secretário Especial, D. Bruno Forte, aos presidentes delegados, aos secretários, consultores, tradutores e todos aqueles que trabalharam de forma incansável e com total dedicação à Igreja: um cordial obrigado! Agradeço a todos vós, amados padres sinodais, delegados fraternos, auditores, auditoras e conselheiros, párocos e famílias pela vossa activa e frutuosa participação. Agradeço ainda a todas as pessoas que se empenharam, de forma…

Sínodo: Consensos difíceis, alguns acordos e críticas à falta de abordagem de temas relevantes sobre a família

Encontra-se em processo de análise a versão final do relatório do Sínodo, que será entregue ao Papa. © DR O acesso dos divorciados recasados à Comunhão, a preparação para o matrimónio e a necessidade de alterações de linguagem dominaram as conferências de imprensa da última semana do Sínodo, bem como os 13 relatórios apresentados. No que diz respeito aos divorciados recasados, as opiniões dividem-se. São várias as referências que insistem na manutenção da “actual disciplina”, admitindo que os católicos devem “abster-se” da Comunhão. No entanto, muitos frisam a necessidade de um acompanhamento dos casais que vivem em situações irregulares. Já a importância de se aprofundar a preparação matrimonial é matéria unânime entre os grupos de trabalho. Numa óptica de balçanço do Sínodo, diversos bispos lamentam a falta de tempo para abordar temas relevantes relacionados com a família.

Sínodo: um caminho que levará as famílias a serem missionárias

Um sínodo emblemático que abre a ternura da Igreja para todos aqueles feridos, não apenas para as famílias. Neste sábado acontecerá a última assembleia do Sínodo. Hoje, o cardeal Peter Erdo apresentou o esboço do documento final, explicando o espírito sinodal sem entrar especificamente no texto. O cardeal Baldiserri recordou que foram analisadas 1355 propostas nos três estágios do sínodo para alcançar esse resultado. Os Padres Sinodais também discutiram a 'consciência e a lei moral’, com base no texto distribuído aos cardeais. O diretor da Imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi, não entrou em detalhes porque trata-se de um tópico do projeto que não é público. Ontem à tarde, o Papa Francisco anunciou a criação de um novo Dicastério que unirá dois pontifícios conselhos, o dos leigos e o da família com a Pontifícia Academia para a Vida. Para falar sobre o desenvolvimento do Sínodo dos Bispos sobre a família, que começou em 4 de outubro no Vaticano, estiveram presentes hoje na sal…

ORAÇÃO DO PAPA SÃO JOÃO PAULO II SOBRE A FAMÍLIA CRISTÃ

No dia da memória litúrgica de São João paulo II, em contexto do Sínodo dos Bispos pela Família, rezamos a Deus Pai e a Seu Filho, segundo o Espírito Santo, com as palavras inspirados do apóstolo da família:
"Ó Deus, do qual provém toda a paternidade,  nos céus como na terra, Vós, Pai, que sois Amor e Vida," pelo Vosso Filho Jesus Cristo, 'nascido de uma Mulher', e pelo Espírito Santo, fonte de caridade divina, fazei que, na terra inteira, cada família humana se torne um verdadeiro santuário da vida e do amor, para as gerações que incessantemente se renovam. Fazei que a Vossa graça

Um grande "sim" à família

O Cardeal Christoph Schönborn disse que o Sínodo dos Bispos já atingiu o objetivo principal: reafirmar um grande "sim" à família. Em declarações à Zenit na semana passada, o arcebispo de Viena aplaudiu a nova metodologia escolhida pelo Papa Francisco para o Sínodo, apesar das críticas iniciais de que as mudanças causaram "confusão". Em vez disso, disse o cardeal, a mudança é "muito, muito útil, pois envolve cada um dos participantes”. "Há 13 reuniões em pequenos grupos, três vezes mais do que os sínodos precedentes. Com este método - menos Plenárias e mais grupos linguísticos - mais direto, eu diria, gera um contato mais frutuoso para as discussões", disse ele.

Uma criança comove o sínodo: o menino que dividiu a hóstia com seu pai, que é divorciado recasado

O papa Francisco e os 270 padres sinodais ouviram com emoção, na Sala do Sínodo, a história relatada por um bispo que celebrou uma missa de primeira comunhão numa paróquia: um menino foi até o altar para receber na mão a hóstia consagrada e, por iniciativa própria, partiu-a em duas partes, dando a metade ao pai que o acompanhava, mas que, sendo divorciado e tendo se casado pela segunda vez, não podia receber a comunhão. O episódio evoca o sofrimento dos católicos em situações irregulares que os impedem de receber sacramentos e mostra que os “filhos do divórcio”, percentual considerável das crianças de hoje, não aceitam a exclusão dos seus pais desta dimensão central da vida cristã.

À escuta da família. Artigo de Enzo Bianchi

Em vista do Sínodo dos bispos sobre a família, foi publicado na França um importante livro com as contribuições de 36 teólogos consultados pelo episcopado francês. O livro foi traduzido ao italiano pelas Edizioni Qiqajon, intitulado La famiglia tra sfide e prospettive [A família entre desafios e perspectivas] com um amplo posfácio do prior de Bose, Enzo Bianchi. Um trecho do posfácio foi publicado no blogue Sperare per Tutti, em 07-10-2015. A tradução é de Moisés Sbardelotto.
O anúncio do matrimónio cristão é claro e exigente, porque, na relação entre homem e mulher, que vivem uma história de amor, que estão ligados na aliança da palavra dada, está significada a aliança fiel entre Deus e o seu povo; mas é preciso manter viva a consciência de que nós nunca somos capazes de manifestar plenamente a fé de Deus, que é fiel mesmo que o seu povo seja sempre infiel. Nós, cristãos, devemos comunicar essa mensagem exigente pondo-nos de joelhos e dizendo, humildemente, que é uma palavra do Senhor, …

SÍNODO: DIFERENÇAS, MARTÍRIOS E BOA-DISPOSIÇÃO

No dia 09 de Outubro foram publicados os primeiros relatórios 
dos diferentes grupos de trabalho. Dia 4: Culturas e olhares diferentes O quarto dia do sínodo ficou marcado pelas declarações de representantes da Europa, África e Médio Oriente. Temas como a perseguição aos cristãos, a visão europeísta do mundo e a homossexualidade estiveram em análise sob olhares culturalmente diferentes. No dia em que três cristãos foram decapitados por um grupo de jihadistas, na Síria, o patriarca sírio Inácio Younan denunciou o “inferno” que tem sido a perseguição aos cristãos no Médio Oriente. Younan referiu-se à impotência da Igreja perante esta “situação trágica” e lamentou o abandono das famílias, particularmente do Iraque e da Síria, que fazem “todos os possíveis para sair do inferno”. “Sentimos que fomos esquecidos, mesmo traídos pelos países ocidentais”, lamentou.



Quando as famílias tomam a palavra no Sínodo: intervenção da Família Nkosi

Buysile Patronella Nkosi e Meshack Jabulani Nkosi Membros do Comitê Consultivo para o Escritório Nacional da Família da Conferência Episcopal dos Bispos da África do Sul Meu nome é Jabu Nkosi e esta é a minha esposa, Buyi. Estamos casados há apenas 35 anos e somos abençoados com cinco filhos e oito netos. Três dos nossos filhos são casados na Igreja, todos eles com cônjuges não católicos e estão caminhando por duas fés, mas com um único amor. Um dos nossos genros e a nossa nora querem se tornar católicos e estamos ansiosos pela Páscoa de 2016, quando os acolheremos na família católica como membros plenos.

Quando as famílias tomam a palavra no Sínodo: Intervenção da Família Galindo

Somos o casal formado por Andrés e Clara Galindo, do México. Há 45 anos formamos a família Galindo Rubio. Deus permitiu-nos ter dois filhos agora já casados e quatro netos. Iniciamos a nossa vida como muitos casais, com muita esperança, mas também com momentos positivos e negativos, tanto emocionais quanto económicos. Os primeiros anos não foram fáceis, principalmente por algumas pressões de alguns familiares que não nos desejavam muito sucesso na nossa nova vida que estávamos a iniciar, a ponto de, por causa dos problemas económicos que tínhamos, tentarem separar-nos. E um dia ele chegou a nossa casa um familiar com os documentos já preparados para que assinássemos o nosso divórcio.

Vigília de oração pelo Sínodo dos bispos sobre a família

A Equipa Arciprestal de Pastoral Familiar de Vila Nova de Famalicão, acolhendo o desafio feito pelo Departamento da Pastoral Familiar da Arquidiocese de Braga, tal como nos outros arciprestados, promove uma vigília de oração pelo Sínodo dos bispos sobre a família. No ensejo que o mesmo possa ser para a Igreja e para o mundo um verdadeiro sinal de acolhimento e de esperança. Perante dos difíceis desafios pastorais da família e das famílias, pediremos que prevaleça o Evangelho, a sabedoria e a misericórdia de Deus nos corações dos participantes em vez do sensacionalismo mediático e mundano. A vigília decorrerá no dia 19 de Outubro, segunda feira, às 21h, na Matriz Nova, na paróquia de Santo Adrião de Vila Nova de Famalicão.

"Espírito familiar"

Quarta-feira, 7 de outubro, enquanto os padres sinodais continuavam mais um dia de trabalho em mais uma sessão do Sínodo sobre a Família, na audiência geral da Praça de S. Pedro o Papa Francisco, na sua catequese, falou sobre o ‘espírito familiar’. Mais de 30 mil pessoas ouviram as suas palavras. O Santo Padre começou por afirmar que “a família que percorre o caminho do Senhor é um testemunho fundamental do amor de Deus e, consequentemente, merece toda a dedicação da Igreja”. Neste sentido, a Assembleia Sinodal iniciada no último domingo, 4 de outubro, deve interpretar com o olhar de hoje a solicitude e a atenção da Igreja.

Rezar pelo Sínodo da Família - Oração pelo Sínodo da Família

Estamos no início do Sínodo dos Bispos pela Família. Todos podemos fazer algo de precioso pelo Sínodo: rezar a Deus e à Sagrada Família.
Aqui deixamos mais uma vez a oração que o Papa Francisco fez para este sínodo. Além disso, apresentamos também algumas preces, as quais podem ser feitas à semana e ao Domingo.
Vamos unir-nos todos em oração.

Oração à Sagrada Família (Do Papa Francisco pela Sínodo dos Bispos)
Jesus, Maria e José, em vós contemplamos o esplendor do verdadeiro amor e, com confiança, nos voltamos para vós.
Sagrada Família de Nazaré, fazei com que nossas famílias sejam lugares de comunhão e cenáculos de oração, autênticas escolas do Evangelho e pequenas Igrejas domésticas.

Papa afirma que Sínodo dos Bispos «não é um parlamento» que negoceia decisões

O Papa Francisco disse hoje no Vaticano que o Sínodo dos Bispos “não é um congresso ou uma convenção, um parlamento ou um senado” onde se negoceiem decisões. “Caros irmãos, como disse, o Sínodo não é um parlamento, onde para se chegar a um consenso ou a um acordo comum, se recorre à negociação, a pactos ou a cedências. O único método do Sínodo é o de abrir-se ao Espírito Santo, com coragem apostólica, humildade evangélica e oração confiante” declarou, na primeira sessão de trabalho da 14ª assembleia geral ordinária deste organismo consultivo, dedicado ao tema da família. Francisco sublinhou que o “depósito da fé” da Igreja Católica não é “um museu para olhar ou salvaguardar, mas é uma fonte viva”.

Homilia do Papa Francisco na Abertura do Sínodo dos Bispos sobre a Família

«Se nos amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós e o seu amor chegou à perfeição em nós» (1 Jo 4, 12). As Leituras bíblicas deste Domingo parecem escolhidas de propósito para o evento de graça que a Igreja está a viver, ou seja, a Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos que tem por tema a família e é inaugurada com esta celebração eucarística. Aquelas estão centradas em três argumentos: o drama da solidão, o amor entre homem-mulher e a família. A solidão Como lemos na primeira Leitura, Adão vivia no Paraíso, impunha os nomes às outras criaturas, exercendo um domínio que demonstra a sua indiscutível e incomparável superioridade, e contudo sentia-se só, porque «não encontrou auxiliar semelhante a ele» (Gn 2, 20) e sentia a solidão.

Sínodo da Família: o cardeal Baldisseri o apresenta à imprensa

Começa neste domingo. Participam 270 padres sinodais e cerca de 70 especialistas e auditores. O secretário geral do Sínodo dos Bispos, o cardeal Lorenzo Baldisseri, apresentou nesta sexta-feira, na sala de imprensa da Santa Sé, algumas informações sobre o sínodo que se realizará no Vaticano de 4 a 25 de outubro sobre a família. Neste sábado, o santo padre Francisco, os bispos e os católicos do mundo inteiro fazem a vigília de oração. Ao entardecer, na Praça de São Pedro, “resplandecerá a beleza da família através das velas acesas”, disse o cardeal Baldisseri, acrescentando que, no domingo, 4, a santa missa abrirá a assembleia geral ordinária do sínodo sobre “A vocação e a missão da família na Igreja e no mundo contemporâneo”. Os fiéis de todo o mundo poderão unir-se ao caminho conjunto dos seus pastores “cum Petro et sub Petro”.

Sínodo dos Bispos: da uniformidade à unidade

Discordâncias e tensões não levam necessariamente à guerra, mas antes revelam entrega, vida, convicção e verdade. E quando o diferente é escutado com humildade, gera-se o verdadeiro diálogo.
Há um ano realizou-se a III Assembleia Geral Extraordinária do Sínodo dos Bispos, convocada pelo Papa Francisco, com o título “Os desafios pastorais sobre a família no contexto da evangelização”. Esta teve o intuito de preparar a XIV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, com o título “A vocação e a missão da família na Igreja e no mundo contemporâneo”, que ocorrerá de 4 a 17 de Outubro, em Roma. Por se centrar quase exclusivamente nas questões ditas fraturantes, a comunicação social inflacionou a polémica que possa ter existido na Assembleia Extraordinária do sínodo. Divisão dentro da Igreja! Haverá um novo cisma? Francisco provoca confrontos entre os prelados! Este era o tipo de títulos em meios de comunicação não necessariamente sensacionalistas.

"A aliança fecunda entre homem e mulher é a resposta para o grande desafio do mundo"

O Santo Padre Francisco compartilhou com os fiéis reunidos na Praça de São Pedro para a Audiência Geral, as experiências vividas em sua recente viagem apostólica a Cuba e os Estados Unidos. Milhares de pessoas receberam o Papa, a bordo do papamóvel, com muito entusiasmo e alegria. Bandeiras de diferentes países tremularam na praça, deixando clara as diversas proveniências dos peregrinos. Assim, o Papa reiterou que gostaria de compartilhar as memórias agradáveis de sua recente viagem a Cuba e os Estados Unidos, “tendo a visita como ponto culminante o Encontro Mundial das Famílias Filadélfia”.