Avançar para o conteúdo principal

Encontro Mundial das Famílias vai reunir mais de um milhão de pessoas à volta do Papa

O Papa vai presidir às cerimónias conclusivas do 8.º Encontro Mundial das Famílias, a 26 e 27 de setembro, na cidade norte-americana de Filadélfia, perante uma multidão estimada em 1,5 milhões de pessoas.
Os dados foram avançados hoje no Vaticano em conferência de imprensa pelos responsáveis do Conselho Pontifício da Família (CPF), da Santa Sé, e da Arquidiocese de Filadélfia.
O encontro mundial tem início marcado para 22 de setembro, com um congresso temático que se prolonga até ao dia 25 desse mês, seguindo-se os dias de oração e encontro com Francisco, em volta do tema ‘O amor é a nossa missão: a família plenamente viva’.
D. Vincenzo Paglia, presidente do CPF, disse que ninguém está “excluído” deste grande encontro de famílias, o qual acontece uma semana antes do início do Sínodo dos Bispos, sobre o tema ‘A Vocação e a missão da família na Igreja e no mundo contemporâneo’.
Simbolicamente, o Papa vai oferecer 200 mil cópias do Evangelho segundo São Lucas, assinadas por si, para as “famílias das periferias” de cinco “grandes cidades”, uma de cada continente: Havana (Cuba), Marselha (França), Hanói (Vietname), Sidney (Austrália) e Kinshasa (Quénia).
Filadélfia, “cidade-pátria da independência americana”, vai ser a “capital da família”, não como “ideologia”, mas como “famílias” falando de si próprias, de forma “concreta”, sublinhou o arcebispo italiano.

Esta vai ser uma das maiores concentrações de pessoas na história dos EUA.
No congresso prévio, com participação prevista de 15 mil pessoas de 150 países, vão ser apresentadas investigações que sublinham o papel central das famílias na sociedade, como o seu principal “recurso” e um “bem da humanidade”.
D. Charles Joseph Chaput assinalou que os conferencistas convidados incluem vários não católicos, como sinal de que a iniciativa está aberta “ao mundo”.
O responsável adiantou que o encontro mundial tem um orçamento de 45 milhões de dólares, que chegam através de donativos, para garantir a segurança dos participantes e a limpeza dos espaços, para além de oferecer bolsas a todas as dioceses do México e a cada conferência episcopal latino-americana, bem como às dioceses pobres dos Estados Unidos da América e Canadá.
Na noite de 26 de setembro, sábado, o Encontro Mundial das Famílias vai celebrar um “festival intercultural”, com a presença confirmada do cantor colombiano Juanes e do tenor italiano Andrea Bocelli.
A Pastoral da Família do Patriarcado de Lisboa, em colaboração com o Departamento Nacional do setor, está a organizar a peregrinação da delegação portuguesa a este encontro.

Cidade do Vaticano, 25 jun 2015 (Ecclesia) 

Mensagens populares deste blogue

Conselhos do Papa Francisco para ir à Missa com crianças

Choros ou gritos das crianças podem atrapalhar, mas a comunidade deve incentivar a participação de toda família.
“Chata!” Respondi à minha avó quando me perguntou sobre o que eu havia achado da Missa. Na época, eu tinha uns seis anos. E olha que cresci em uma família católica, frequentando Missas e catequeses! Recordo que ir à Missa, muitas vezes, representava uma soneca durante a  homilia, pipocas doces e coloridas ou sorvete no fim. Confesso que minha participação não era exemplar, porém, creio que essa liberdade na participação foi ajudando a semear a fé em meu coração e em minha mente.

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

A mulher é quem dá harmonia ao mundo, não está aqui para lavar louça

O Pontífice indicou que é necessário evitar se referir à mulher falando somente sobre a função que realiza na sociedade ou em uma instituição, sem levar em consideração que a mulher, na humanidade, realiza uma missão que vai além e que nenhum homem pode oferecer: “O homem não traz harmonia: é ela. É ela que traz a harmonia, que nos ensina a acariciar, a amar com ternura e que faz do mundo uma coisa bela”. Em sua reflexão sobre a Criação, a partir da leitura do Livro do Gênesis, o Papa Francisco se referiu ao papel da mulher na humanidade.