Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2015

Encontro Mundial das Famílias - Philadelphia 2015

O amoré a nossa missão:
A Famíliaplenamente vivo
Convocados de todo o mundo para a celebração da família, o santuário de amor e vida! Para ter acesso a toda a informação sobre o Encontro Mundial das Famílias, foi criado um website, em várias línguas, sendo uma delas o português. Pode acessar ao mesmo por aqui http://www.worldmeeting2015.orge descobrir tudo o que já se está a fazer e a preparar para este encontro onde o Papa Francisco estará presente.

Encontro Mundial das Famílias vai reunir mais de um milhão de pessoas à volta do Papa

O Papa vai presidir às cerimónias conclusivas do 8.º Encontro Mundial das Famílias, a 26 e 27 de setembro, na cidade norte-americana de Filadélfia, perante uma multidão estimada em 1,5 milhões de pessoas. Os dados foram avançados hoje no Vaticano em conferência de imprensa pelos responsáveis do Conselho Pontifício da Família (CPF), da Santa Sé, e da Arquidiocese de Filadélfia. O encontro mundial tem início marcado para 22 de setembro, com um congresso temático que se prolonga até ao dia 25 desse mês, seguindo-se os dias de oração e encontro com Francisco, em volta do tema ‘O amor é a nossa missão: a família plenamente viva’. D. Vincenzo Paglia, presidente do CPF, disse que ninguém está “excluído” deste grande encontro de famílias, o qual acontece uma semana antes do início do Sínodo dos Bispos, sobre o tema ‘A Vocação e a missão da família na Igreja e no mundo contemporâneo’. Simbolicamente, o Papa vai oferecer 200 mil cópias do Evangelho segundo São Lucas, assinadas por si, para as “famí…

"Famílias em situação irregular" Catequese do Papa Francisco

O Papa prosseguiu suas catequeses sobre a família, desta vez falando sobre as feridas que permeiam o núcleo familiar. Francisco afirmou não gostar do termo "famílias em situação irregular".

"Instrumentum laboris" do Sínodo sobre a família

Em menos de quatro meses terá início em Roma o Sínodo Ordinário sobre a família. Nesta terça-feira de manhã foi apresentado ao público o “Instrumentum Laboris”, ou seja, o documento que vai orientar a reunião e que deverá ser usado como referência durante o Sínodo. O documento foi preparado a partir do texto conclusivo do precedente Sínodo e das respostas dos fiéis de todo o mundo que contribuíram preenchendo o questionário enviado a todas as Conferências Episcopais pelo Vaticano. Como citado na introdução do documento, depois de refletir sobre a III Assembleia Geral Extraordinária do Sínodo dos Bispos em outubro de 2014 sobre Os desafios pastorais da família no contexto da evangelização, a XIV Assembleia Geral Ordinária, a ser realizada de 4 a 25 de outubro deste ano, vai abordar o tema A vocação e a missão da família na Igreja e no mundo contemporâneo. O percurso sinodal será marcado por três momentos intimamente relacionados: a escuta dos desafios sobre a família; o discernimento da …

10 frases do Papa Francisco para os namorados

Dez frases do Papa Francisco sobre o namoro.
1."O verdadeiro amor é amar e deixar-me amar." (Encontro com os jovens, Manila, 18 de janeiro de 2015).
2."o amor abre-te às surpresas: o amor é sempre uma surpresa, porque pressupõe um diálogo a dois. Entre quem ama e quem é amado. E nós dizemos que Deus é o Deus das surpresas, porque Ele nos amou primeiro e espera-nos com uma surpresa." (Encontro com os jovens, Manila, 18 de janeiro de 2015).
3."Peçamos ao Senhor que nos faça compreender a lei do amor. Que bom é termos esta lei! Como nos faz bem, apesar de tudo amar-nos uns aos outros!" (Exortação Apostólica Evangelii Gaudium).
4."[...] para levar por diante uma família, é necessário usar três palavras. Três palavras: com licença, obrigado, desculpa. Três palavras-chave!" (Discurso do Papa Francisco as famílias em peregrinação por ocasião do Ano da Fé).
5."O verdadeiro amor impele-te a gastar a vida, mesmo a risco de ficares com as mãos vazias. Pens…

CARTA ENCÍCLICA LAUDATO SI’ DO SANTO PADRE
FRANCISCO SOBRE O CUIDADO DA CASA COMUM

1. «LAUDATO SI’, mi’ Signore – Louvado sejas, meu Senhor», cantava São Francisco de Assis. Neste gracioso cântico, recordava-nos que a nossa casa comum se pode comparar ora a uma irmã, com quem partilhamos a existência, ora a uma boa mãe, que nos acolhe nos seus braços: «Louvado sejas, meu Senhor, pela nossa irmã, a mãe terra, que nos sustenta e governa e produz variados frutos com flores coloridas e verduras».[1] 2. Esta irmã clama contra o mal que lhe provocamos por causa do uso irresponsável e do abuso dos bens que Deus nela colocou. Crescemos a pensar que éramos seus proprietários e dominadores, autorizados a saqueá-la. A violência, que está no coração humano ferido pelo pecado, vislumbra-se nos sintomas de doença que notamos no solo, na água, no ar e nos seres vivos. Por isso, entre os pobres mais abandonados e maltratados, conta-se a nossa terra oprimida e devastada, que «geme e sofre as dores do parto» (Rm 8, 22). Esquecemo-nos de que nós mesmos somos terra (cf. Gn 2, 7). O noss…

Novos olhares sobre o casamento

Jesus de Nazaré rejeita apenas a família como um mundo fechado, esquecida do nosso parentesco universal.
1. Quem decide casar, seja pelo civil seja pela Igreja, é obrigado a marcar uma data. É por isso que existe um antes de casados e um depois de casados. Banalidade das banalidades. As instituições têm normas. Mas esta evidência jurídica não deve esconder as misteriosas dimensões humanas e cristãs de laços que se desenvolvem no tempo e que nenhum tempo explica. O casamento é um processo infinitamente mais complexo do que o processo civil e religioso. Para não morrer, tem de ir crescendo sempre nos noivos e no casal. Aquilo a que normalmente se chama o casamento é apenas a Festa de uma realidade que só pode ser bem conjugada no gerúndio. As pessoas que se acolhem como casal serão lúcidas se perceberem que ganham em ir casando cada vez mais, nas diferentes etapas da vida, preparando-se, nos dias calmos, para o imprevisível. Se for verdade, como diz A. Bessa Luís, que as famílias são férte…

A morte traz dor e pode causar revolta, mas nunca tem a última palavra

O que se responde a uma criança que perdeu os pais e pergunta quando voltam? Como compreender a revolta contra Deus por parte dos pais que ficaram sem o filho? A relação entre a família e o luto de uma pessoa querida, entre a dor de quem sofre o desaparecimento de alguém próximo e a fé que restitui a esperança, foram os temas que o papa Francisco refletiu hoje, no Vaticano, durante a audiência semanal, durante a qual se referiu também à sua nova encíclica, lançada amanhã, e ao Dia Mundial do Refugiado. «É uma cena muito comovente, que nos mostra a compaixão de Jesus por quem sofre – neste caso uma viúva que perdeu o único filho – e nos mostra também, o poder de Jesus sobre a morte», assinalou o papa, referindo-se ao trecho bíblico (Lucas 7, 11-15) proclamado antes da catequese. Excertos da intervenção: «A morte é uma experiência que diz respeito a todas as famílias, sem exceção alguma. Faz parte da vida; todavia, quando toca os afetos familiares, a morte nunca é capaz de aparecer como nat…

Preparação para o casamento

Resposta improvisada do Papa Francisco
Os jovens não querem casar, preferem conviver, tranquilos e sem compromissos; depois, se vier um filho, casam-se à pressa. Hoje não está na moda casar! Muitas vezes nos matrimónios na igreja, eu pergunto: «Tu que vens casar, é porque queres deveras receber do teu noivo ou da tua noiva o Sacramento, ou vens porque socialmente se deve fazer assim?». Aconteceu há pouco tempo que, depois de uma longa convivência, um casal que conheço decidiu casar. «E quando?». «Ainda não sabemos, porque estamos a procurar uma igreja que esteja em harmonia com o vestido e um restaurante que esteja próximo da igreja, e depois temos que preparar as lembranças, e depois...». «Mas, diz-me, com que fé te casas?». Como se preparam os casais que devem casar?

REFLEXÃO SOBRE FAMÍLIA‏ - São Bento da Porta Aberta

CONVITE
Vamos reflectir!Um dos maiores, importantes e decisivos campos onde se joga o futuro é a Família. Hoje, aqui e agora!

Não tenho tempo... (dito por Vitor de Sousa)

As mães estragam as crianças, SIM!

(Advertência: Este texto não deve ser lido por todas as pessoas! É exclusivo e recomendado só para aquelas que serão, muito provavelmente, as melhores mães do mundo.)
Não, não é verdade que as mães sejam serenas, macias e bucólicas, quase sempre. E que, seja diante do que for, reajam num tom ameno, almofadado e cheio de açúcar, sem sequer gritarem, esbracejarem e esconjurarem todos os descuidos que, sempre que elas são dedicadas e atentas, abundam numa casa. As mães saudáveis têm o direito (milenar!) a esganiçar-se, sim senhora! (Aliás, mães esganiçadas são um património imaterial da Humanidade; como se sabe.) E têm o direito a ameaçar que, um dia, se vão embora e “aí sim, vocês vão ver a falta que vos faço!”. E por mais que não esperem que ninguém as leve a sério, como é óbvio, agradeciam que toda a gente da família ficasse, pelo menos, em... estado de choque (!!!) diante de um grito como esse, em vez de permanecer em silêncio – entre o divertido e  uma atitude do género: “Ela fica tã…

Pais, precisamos de filhos mais altruístas. Como?

As crianças de hoje colocam a própria felicidade acima dos outros devido à educação que recebem dos pais. Mas a sociedade está a precisar de gente mais altruísta. Como? Há cinco formas de o conseguir. Os pais de hoje parecem ter-se esquecido do significado da palavra “altruísmo”. De acordo com o estudo de Richard Weissbourd, psicólogo da Universidade de Harvard, 80% dos 10 mil jovens entrevistados afirma que os pais se sentem mais satisfeitos quando os filhos põem a sua felicidade e sucesso no topo das prioridades do que quando preferem prestar apoio aos outros. Este é um dado que faz adivinhar um futuro pouco risonho para a humanidade: “Uma comunidade saudável depende de adultos que estão empenhados em priorizar o bem comum em detrimento do seu próprio”. A consequência do incumprimento destes valores são 30% de estudantes agredidos em ambiente académico, mais de metade das raparigas passaram por episódios de assédio sexual e mais de 50% admitiu mentir ou trapacear na escola. Em suma, e…

A família é o "hospital" mais próximo

Na Audiência Geral desta quarta-feira (10 de junho), o Papa Francisco continuou o ciclo de catequeses sobre a família, destacando um aspecto: a doença. O Santo Padre chegou na Praça de São Pedro a bordo do papamóvel aberto e passou entre os peregrinos saudando a todos, de modo especial, os doentes e as crianças. Enquanto isso, os peregrinos provenientes de diversos países expressavam grande entusiasmo balançando suas bandeiras. O dia relativamente quente da primavera europeia, permitiu que a praça ficasse enfeitada com centenas de guarda-chuvas coloridos que foram usados para proteger do sol. O Papa Francisco, no resumo da catequese em língua portuguesa, destacou que a doença é uma realidade comum na vida das nossas famílias. “Esta só excepcionalmente devido à fragilidade humana, põe em crise a família – alertou Francisco -. “Em geral, a situação de doença robustece os laços familiares, sendo vivida com maior empatia e apreensão”.