Avançar para o conteúdo principal

Mãe, sempre Mãe!

A figura da mãe continua a ser o fermento da família e da sociedade. Por vezes, esta tenta muitas vezes descaraterizá-la com o novo e moderno conceito de família. Porém, para os que acreditam numa família coesa, coerente e responsável, a figura da mãe tem como principal projeto de vida a família, como elo de suporte entre os seus membros, a presença e o acompanhamento do percurso desde o nascimento e crescimento dos seus filhos bem como a adaptação às diferentes etapas da vida. 

A mãe continua a ser uma fonte de promoção de valores tais como: o respeito pelo outro, a solidariedade, o direito à diferença e à igualdade, a competência e ao profissionalismo. Em suma, ela congrega uma enorme e abrangente tarefa no seu todo ao Ser Mãe. 
Por isso, 
Ser mãe é ter uma nobre missão. É amar e (re)produzir a semente que mudará sempre este mundo cheio de contradições.
Ser mãe é ser um ser comprometido e empenhado na mudança e na construção de um mundo melhor, onde prolifere a Paz, o Equilíbrio e a Harmonia.
Não é fácil ser mãe. Muito menos é fácil ser mãe no século XXI. É difícil conjugar a família e a carreira. É difícil ser Mãe! O desafio permanente da Mãe é enternecedor e fabuloso, que ela encara com um sorriso, em cada obstáculo, e que tem que ultrapassar. Em cada lágrima que derrama, revê a presença dos Filhos e da Família.
Ser Mãe é um projeto de vida, é um projeto de Amor, que dá significado e dignifica a sua existência.
Parabéns a todas as mães!
Que Deus, neste dia especial, vos encha de todas as bênçãos.

Marta Guimarães
Equipa Arciprestal de Pastoral Familiar

Mensagens populares deste blogue

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis...

Em Setembro passa a ser proibida a eutanásia nos canis como medida de controlo dos cães e gatos vadios. Governo pode vir a estender prazo, porque maioria dos canis não sofreu obras. Em 31 concelhos nem sequer existem.

E se ajudássemos os outros a viver?

Nunca fui autónoma, mas isso não me tornou menos digna em nenhum dos dias, desde que nasci. É por isso que não posso ficar em silêncio, numa altura em que nos preocupamos em como ajudar os outros a morrer.

Eutanásia: Interrupção Voluntária do Amor (IVA)

Nestas últimas semanas, estou em visita pastoral às paróquias mais pequenas do arciprestado de Cabeceiras de Basto. No contexto atual de debate sobre a eutanásia, tenho procurado saudar ainda com mais respeito e carinho os idosos que encontro nos Centros de Convívio, em suas casas ou na Igreja Paroquial na celebração do Sacramento da Unção dos Doentes.