Avançar para o conteúdo principal

Poema de um(a) apaixonado(a) para o Dia dos Namorados

O que é que tu sentes?
Ensina-me a ver-te como tu me vês!
Que passos tenho que dar para que tu sejas mais tu e menos um eu?
Estou a aprender a fazer-te feliz e parece nunca saber...
O teu mistério em mim só me traz alegria e felicidade... e não sei por quê!?
Não te compreendo tantas vezes 
e no entanto compreendo-te sempre...
A grandeza da tua presença
não dá para me habituar e acostumar
porque sempre tudo é tão novo em ti... que bom!
Tens tanto e recebo tanto...
E eu não tenho nada e não te dou nada...
e no entanto sinto que estás tão sintonizada
com minha fragilidade, a minha miséria, o meu nada...
nem sequer pensas nisso,
ou isso não te perturba como se fosse uma equação impossível...
pelo contrário, fazes-te fraca com a minha fraqueza,
assumes a minha finitude como se fosse a tua finitude...
só para que o sorriso do olhar aconteça...
A coragem de me dizer, de me dizer-te a ti,
de me expor já não é problema, nem estranho..
Tu és mais um eu de mim do que eu de mim mesmo...
e eu só quero ser o teu tu...
Estarei nas nuvens, a sonhar alto...
se pudesse ficaria sempre assim...
não desceria deste céu...
O que é que tu sentes?
Ensina-me a ver como tu vês!!

Mensagens populares deste blogue

Conselhos do Papa Francisco para ir à Missa com crianças

Choros ou gritos das crianças podem atrapalhar, mas a comunidade deve incentivar a participação de toda família.
“Chata!” Respondi à minha avó quando me perguntou sobre o que eu havia achado da Missa. Na época, eu tinha uns seis anos. E olha que cresci em uma família católica, frequentando Missas e catequeses! Recordo que ir à Missa, muitas vezes, representava uma soneca durante a  homilia, pipocas doces e coloridas ou sorvete no fim. Confesso que minha participação não era exemplar, porém, creio que essa liberdade na participação foi ajudando a semear a fé em meu coração e em minha mente.

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

A mulher é quem dá harmonia ao mundo, não está aqui para lavar louça

O Pontífice indicou que é necessário evitar se referir à mulher falando somente sobre a função que realiza na sociedade ou em uma instituição, sem levar em consideração que a mulher, na humanidade, realiza uma missão que vai além e que nenhum homem pode oferecer: “O homem não traz harmonia: é ela. É ela que traz a harmonia, que nos ensina a acariciar, a amar com ternura e que faz do mundo uma coisa bela”. Em sua reflexão sobre a Criação, a partir da leitura do Livro do Gênesis, o Papa Francisco se referiu ao papel da mulher na humanidade.