Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro 16, 2014

Família exige pastoral «corajosa»

Papa inicia consistório extraordinário dedicado a esta temática
O Papa Francisco iniciou hoje os trabalhos do consistório extraordinário que reúne cerca de 185 prelados no Vaticano, entre hoje e amanhã, com alertas para as dificuldades que a família enfrente na atualidade. “Hoje, a família é desprezada, é maltratada, pelo que nos é pedido para reconhecermos como é belo, verdadeiro e bom formar uma família, ser família hoje; reconhecermos como isso é indispensável para a vida do mundo, para o futuro da humanidade”, declarou, Segundo o Papa, os trabalhos destes dois dias devem colocar em evidência “o plano luminoso de Deus para a família” e delinear uma "pastoral inteligente, corajosa e cheia de amor". “Ajudemos os esposos a vivê-lo com alegria ao longo dos seus dias, acompanhando-os no meio de tantas dificuldades”, acrescentou. Francisco sublinhou que a família é “a célula fundamental da sociedade humana”, convidando os participantes nesta reunião a ter “sempre presente a beleza d…

Respostas às questões propostas para a IX Jornada da Família - Nas periferias da Família

O PAPA FRANCISCO DESAFIA-NOS A IR ÀS PERIFERIAS EXISTÊNCIAS, A ABRIR AS PORTAS DA IGREJA PARA SAIR E IR AO ENCONTRO DE TODOS, QUAISQUER QUE SEJAM AS SITUAÇÕES. O QUE TE DIZ ESTE DESAFIO? COMO PENSAS CONCRETIZA-LO?
- É sem duvida uma mente aberta. Jesus acolheu todos, são todos filhos de Deus. Não é nada fácil, é preciso muita coragem, mas não podemos desanimar. Ás vezes uma palavra na hora certa faz a diferença.
- Este desafio faz falta na igreja, especialmente na minha paróquia fecha-se as portas em vez de as abrir, ajudando as pessoas a compreender que Jesus é o caminho, a verdade e a vida.
- É bom o desafio mas é difícil os jovens aderirem, mas vamos tentando falar hoje e amanhã.
- A Igreja relativamente a este conceito deveria ser mais aberta a acolher, não rejeitar, saber os motivos e tentar ajudar. Não deveria ser tão rígida e ser mais flexível.
- Este desafio do Papa Francisco está por enquanto num plano dos discursos e temo que não saia daí tão cedo. É bonito, fica bem, corre o ris…

Respostas às questões propostas para a IX Jornada da Família - Nas periferias da Família

MUITOS JOVENS EXCLUEM A PRÓPRIA IDEIA DE CASAR. O QUE ACHAS QUE SE PASSA? É UMA QUESTÃO ECONÓMICA? É FALTA DE UM PROJECTO DE VIDA?

- A questão económica tem um grande peso e daí a falta de um projecto de vida, mas também é moda, dificuldades sempre houve.
- Sim, é falta de projecto de vida. Falta de carinho e acolhimento da parte dos representantes da Igreja.
- É Falta de Jesus Cristo. Falta de um projecto de vida.
- Questões económicas sim, mas também a evidencia que a instituição família está cada vez mais em decadência. Cada um vive para seu lado, embora casados cada um vive a sua própria vida.
- É sobretudo uma questão económica e também um estilo de vida mais consentâneo com os dias de hoje de forte instabilidade a vários níveis. Não é falta de projecto de vida, é sim projectos de vida diferentes do passado.
- Falta de projecto de vida e medo do compromisso assumido. Penso que as pessoas excluem facilmente Deus nas suas vidas. As pessoas brincam demasiado com os sentimentos do outro.

Respostas às questões propostas para a IX Jornada da Família - Nas periferias da Família

HÁ MUITOS DIVÓRCIOS, SEPARAÇÕES, UNIÕES DE FACTO. COMO TE POSICIONAS FACE A ESTAS SITUAÇÕES? ACEITAS COM INDEFERENÇA E RESIGNADO ÀS EVIDENCIAS? SABES O QUE DIZ A IGREJA SOBRE ELAS? CONHECES ALGUÉM NESTAS CIRCUNSTANCIAS?

- Não aceito. Sei, Jesus disse “o que Deus une jamais o homem pode separar”. Conheço bastantes, infelizmente.
- A nossa sociedade vive a ritmo alucinante, com vários problemas; desemprego, falta de dinheiro, doenças, fome e para agravar surgem sentimentos de revolta; ciúme, orgulho e comportamentos indevidos. Tudo isto contribui para os divórcios e separações. Eu penso que a Igreja luta contra estas “enfermidades”. A Igreja precisa de capacidade de tratar feridas.
- Este é um tema muito delicado e sensível (sou casada). Hoje existem muitos estados emocionais desequilibrados, daí o assunto ser delicado. Aceito as indiferenças a que estou sujeita. A Igreja neste assunto é muito diversa. Infelizmente ou felizmente conheço.
- Com respeito. Não, tento mediar alguns casos. Outro…