Avançar para o conteúdo principal

Respostas às questões propostas para a IX Jornada da Família - Nas periferias da Família

A IGREJA TEM UM IDEAL DE FAMILIA. CONHECES ESSE IDEAL? ACHAS QUE ESTÁ ULTRAPASSADO? CONHECES E LÊS O QUE IGREJA DIZ SOBRE A FAMILIA?


- Conheço. Não está nem estará porque é na família que se encontram os valores que Deus ensinou. Conheço e leio quando posso.

- Conheço. Não. A Igreja diz e escreve que as familias não devem estar enfermas, mas sim de saúde. Para isso acontecer todos os membros da família têm que se esforçar para dar o seu melhor. Por isso nunca se pode dizer que está ultrapassado. Pode é dizer-se que muitas familias não estarão dar o seu melhor para melhorar as relações entre os seus membros.

- Quem formou a família foi Deus e esse ideal ainda se encontra actualizado por Deus nosso Pai.
O homem (Igreja) deve idealizar no bom sentido esse tema. A Igreja defende a família teoricamente, mas desafio a Igreja (que somos todos nós) a sair mais ao encontro desse ideal.

- Sim. Não. Conheço a doutrina da Igreja no que se refere à família.

- O ideal não está ultrapassado, as pessoas é que o ultrapassaram.

- Sentimos que a Igreja tem sido muito ortodoxa no conceito de família, tendo-se vindo a abrir pelas mensagens do Papa Francisco.

- O ideal nunca será ultrapassado. É com muita alegria que acompanho os ensinamentos da Igreja sobre a família.

- A Igreja apresenta a Sagrada Família como modelo a seguir. Claro que não está ultrapassada, pois a paz, a harmonia, o entendimento e o diálogo são fundamentais. Sim conheço alguns documentos sobre a família.

- O ideal de família que a Igreja vem defendendo está a sofrer modificações ligeiras, para já ao nível dos discursos. Tem que se abrir e adaptar aos tempos de hoje. Nenhuma instituição é imutável e eterna. As instituições são para as pessoas e não o contrário. Acompanho com atenção e curiosidade e alguma preocupação o que a Igreja diz sobre a família.

- Conheço. Penso que está um pouco ultrapassado e deveria ser reformulado. Hoje há situações e circunstancias que merecem um olhar mais atento e um contexto mais aprofundado sobre o tema. A Igreja tem de inovar e actualizar-se.

- Sim. O amor, a compreensão, pedir desculpas e dizer obrigado. Não, os jovens no meu ver não têm Jesus no coração. Sim, o que Deus uniu não pode ser separado.

- O ideal de família está na família de Nazaré.

- A família de Nazaré. Não acho nada ultrapassada. Todas as familias deveriam ser comprometidas e unidas.

- A Igreja tem o ideal de família cristã, fundada numa aliança sagrada e sacramentada, entre esposos que devem amar como Cristo amou a Igreja. Este ideal não está ultrapassado; está menos correspondido e a sociedade sofre indiferente com isso. É preciso a “Nove Evangelização”.

- Não, o ideal de família não está ultrapassado. A família porque é fruto de um amor conjugal, é reflexo primordial da humanidade. A identidade da família deve ser respeitada por todos, para que seja reconhecida a sua insubstituível contribuição em prol de toda a sociedade.

- Não, não está ultrapassada, apenas precisa de ser ajustada como tudo na vida. Acompanhando algumas evoluções, porque se elas existem, assim Deus permitiu.

- Penso que conheço. Um homem e uma mulher unidos pelo sacramento do matrimónio, que estão abertos ao dom da vida, à educação dos filhos e à sua formação religiosa, ao perdão, ao amor e à doação. Tudo isto, com a presença de DEUS. Penso que este conceito está ultrapassado. A questão divina - DEUS está muito ausente ou não existe na maioria das famílias. Conheço algumas coisas, oiço outras e entendo que os cristãos também andam “baralhados” ou mesmo “desorientados”. Esta dimensão do casamento e da família com a presença de Deus é muito difícil de pôr em prática, principalmente, quando falamos do perdão, da educação - do exemplo, do saber colocar-me no lugar do outro, da compreensão e do amor.


- A Igreja deverá aproximar-se mais das pessoas que vivem problemas de separação

Mensagens populares deste blogue

Conselhos do Papa Francisco para ir à Missa com crianças

Choros ou gritos das crianças podem atrapalhar, mas a comunidade deve incentivar a participação de toda família.
“Chata!” Respondi à minha avó quando me perguntou sobre o que eu havia achado da Missa. Na época, eu tinha uns seis anos. E olha que cresci em uma família católica, frequentando Missas e catequeses! Recordo que ir à Missa, muitas vezes, representava uma soneca durante a  homilia, pipocas doces e coloridas ou sorvete no fim. Confesso que minha participação não era exemplar, porém, creio que essa liberdade na participação foi ajudando a semear a fé em meu coração e em minha mente.

A mulher é quem dá harmonia ao mundo, não está aqui para lavar louça

O Pontífice indicou que é necessário evitar se referir à mulher falando somente sobre a função que realiza na sociedade ou em uma instituição, sem levar em consideração que a mulher, na humanidade, realiza uma missão que vai além e que nenhum homem pode oferecer: “O homem não traz harmonia: é ela. É ela que traz a harmonia, que nos ensina a acariciar, a amar com ternura e que faz do mundo uma coisa bela”. Em sua reflexão sobre a Criação, a partir da leitura do Livro do Gênesis, o Papa Francisco se referiu ao papel da mulher na humanidade.

Oração de ação de graças a Deus pelo dom da Família -