Avançar para o conteúdo principal

Nas periferias da família… IX Jornada da Família




Separações, divórcios, uniões de facto, recasados, violência doméstica, uniões civis, uniões de pessoas do mesmo sexo, mães solteiras e mães de aluguer, jovens que excluem a via do casamento

Um mar de lugares periféricos habitados por tantos crentes, por tantos cristãos

Estas feridas abertas, não cuidadas, sem paliativos, geram sempre incompreensão, rejeição, dor, sofrimento... muitas vezes até revolta e azedume que escurecem as vidas e eliminam a esperança...
A confiança posta na Igreja perde-se se não houver da sua parte uma transformação muito para além das suas estruturas. A mudança passa pela conversão da atitude.

O Papa Francisco diz-nos: “Sonho com uma Igreja Mãe e Pastora… vejo claramente que aquilo de que a Igreja mais precisa é de capacidade de tratar feridas e de aquecer o coração dos fiéis, da afinidade, de proximidade. Vejo a Igreja como um hospital de campanha depois de uma batalha. É inútil perguntar a um ferido grave se tem o colesterol ou o açúcar altos. Devem curar-se as suas feridas. Depois podemos falar de tudo o resto. Curar as feridas, curar as feridas… E é necessário começar de baixo.” (Cf. Civiltá Cattolica, entrevista do Padre Antonio Spadaro, SJ, ao Papa Francisco, a 19 de Agosto de 2013)

Eis-nos aqui, buscando a conversão da atitude, como uma mãe ou um pastor, a correr este risco e a travar esta batalha, a montar o nosso hospital de campanha, a sair de nós mesmo, a ir ao encontro dos feridos, com um desejo imenso de cuidar e aquecer corações, criar empatias, ser sinal da ternura e da bondade de Deus, num exercício prático da misericórdia, mesmo que não nos aceitem ou não nos compreendam...

Ir ao encontro dos que se encontram nas periferias da família é um longo caminho que todos temos que sempre reiniciar. Com a IX Jornada da família, damos este pequenino passo de aproximação e de afinidade, com a inquietação de dar outros para se dar continuidade ao caminho. Na verdade, o futuro constrói-se conjuntamente.
A família como célula nuclear da humanização e da sociedade não precisa apenas de ser promovida e protegida. Ela tem necessidade da nossa atenção e do nosso compromisso. Ela precisa do melhor do nosso coração.

P'la organização
Equipa da Pastoral Familiar de São Martinho de Brufe, VNF
Equipa da Pastoral Familiar de Santo Adrião , VNF

Mensagens populares deste blogue

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

A mulher é quem dá harmonia ao mundo, não está aqui para lavar louça

O Pontífice indicou que é necessário evitar se referir à mulher falando somente sobre a função que realiza na sociedade ou em uma instituição, sem levar em consideração que a mulher, na humanidade, realiza uma missão que vai além e que nenhum homem pode oferecer: “O homem não traz harmonia: é ela. É ela que traz a harmonia, que nos ensina a acariciar, a amar com ternura e que faz do mundo uma coisa bela”. Em sua reflexão sobre a Criação, a partir da leitura do Livro do Gênesis, o Papa Francisco se referiu ao papel da mulher na humanidade.

Um cristão não pode dizer “sou contra homossexuais”

Convém recordar que Jesus Cristo está depois do Antigo Testamento e que, na sua passagem pela terra, deu sempre lugar de destaque às prostitutas, sobretudo a Maria Madalena. E, já agora, não será Mateus 19:12 uma aceitação da naturalidade da homossexualidade? “Alguns eunucos são assim porque nasceram assim”.