Avançar para o conteúdo principal

10 maneiras de amar os filhos sem usar palavras

Do contato visual às refeições em família: dicas simples que podem fazer toda a diferença

Provérbios 22,6: "Guiai as crianças pelo caminho reto e, quando adultas, elas não se desviarão". Mas qual é o caminho reto por onde orientar uma criança? Em primeiro lugar, eu quero orientar os meus filhos a amar como Jesus amou. Aqui vão dez dicas simples para amar os seus filhos mais plenamente e para ensiná-los a amar como Jesus.

1. Faça contato visual com seus filhos.
Olhar nos olhos só leva alguns segundos. Na maioria das vezes em que respondemos aos nossos filhos, porém, estamos focados em nossas próprias tarefas. Deixe o computador, o telefone ou os trabalhos domésticos de lado durante um instante e faça contato visual com os lindos olhos do seu filho enquanto fala com ele. Ele vai gostar muito – e isso vai iluminar o seu dia!

2. Toque nos seus filhos.
Todo ser humano precisa do toque físico. Se você não abraça os seus filhos o suficiente, eles vão procurar afeto físico em outro lugar. As crianças mais velhas, em especial, podem ter mais dificuldades para começar a demonstração física de afeto pelos pais.
Toque no braço do seu filho enquanto fala com ele, pegue a mão dele quando caminham juntos, enlace-o com o braço quando ele chegar da escola. As crianças que não se acostumam ao contato físico saudável e afetuoso no início da vida podem ter dificuldades nas relações físicas adultas, além de correrem mais riscos de abuso sexual.


3. Deixe seus filhos dormirem.
A insônia nos deixa egoístas e mal-humorados. É difícil amar os outros quando estamos muito cansados. Dormir o suficiente reduz lesões e obesidade infantil e melhora o desempenho escolar e o sucesso social! De quanto tempo de sono os seus filhos precisam? Como fazê-los dormir na hora certa? Minha amiga e colega Dra. Kelly Ross compartilha uma pesquisa e alguns truques aqui [em inglês]. Você mesmo está cansado? Veja aqui o que a falta de um bom sono provoca nos pais.

4. Não grite com seus filhos.
Jesus não gritava. Por que nós deveríamos gritar? Controlar a raiva é essencial para o desenvolvimento do cérebro das nossas crianças. O carinho atencioso aumenta o tamanho do hipocampo, a parte do cérebro que controla a tensão, a emoção e a memória, entre outras funções.
Um estudo da Universidade de Washington avaliou como os pais lidam com os filhos em situações estressantes. Depois, os pesquisadores estudaram o cérebro dessas crianças na época em que elas entraram na escola. Se os pais tinham dado atenção e suporte a elas durante os momentos de estresse, as crianças apresentavam maior volume do hipocampo.
Aprenda novas formas de lidar com seus filhos quando eles deixam você irritado. Eu parei de dar palmadas. Agora usamos o redirecionamento, a redação, atividades extras e uma gama ampla de outros truques para incentivar a ordem entre os nossos filhos. Eles ficam irritados menos vezes – e eu também.
Seu filho apresenta desafios de comportamento? Os meus sim. Gerenciar a raiva deles pode ser uma tarefa assustadora. Aqui vão seis dicas para ajudar você.

5. Reduza o tempo de atividades extracurriculares e invista mais tempo na vida familiar.
A maior parte do tempo que você passa com seus filhos é no carro? Talvez seja hora de reavaliar o planejamento extracurricular. Estes são os meus critérios para escolher as atividades com sabedoria. Simplifique a vida deles – e a sua também!

6. Arrume tempo para brincadeiras criativas.
O desenvolvimento social e emocional não acontece na frente de uma tela. Seus filhos brincam ao ar livre, fazem casas na árvore, se envolvem em brincadeiras criativas? Vários estudos continuam mostrando que o brincar criativo desenvolve funções do cérebro importantes para as crianças chegarem mais longe em matemática e ciências e se desenvolverem melhor nas áreas intelectual, social e emocional. Tenho sete dicas para você incentivar a brincadeira criativa no seu lar.

7. Faça as refeições em família.
Jesus fazia as refeições com as pessoas que Ele amava. Se isso não é suficiente para convencer você a priorizar as refeições em família, também temos pesquisas pediátricas que mostram os seus benefícios para a saúde das crianças. Refeições em família estão associadas com:

- probabilidade 12% menor de sobrepeso
- consumo 20% menor de alimentos não saudáveis
- chance 35% menor de hábitos alimentares desordenados (anorexia, bulimia, etc.).

Para saber mais sobre a importância das refeições em família, veja este artigo do meu colega Dr. Phil Boucher, “TheDoctorDad”.

8. Cuide deles quando estiverem doentes.
Você pode não fazer os cegos enxergarem nem os paralíticos andarem, mas, quando o seu filho está gripado, não há ninguém que ele queira ao lado dele mais do que o pai e a mãe, cheios de amor. Algumas das lembranças mais gostosas que eu tenho da minha mãe são de quando eu estava doente e ela cuidava de mim. Os filhos dependem dos pais para se manterem saudáveis e os querem perto quando ficam doentes. Aliás, não está na hora de agendar um check-up para o seu filho? Será que ele está comendo direito? Não precisa de vitaminas? Você leva os seus filhos consigo quando visita um amigo hospitalizado? Visitar os doentes é uma obra de misericórdia corporal. Quando nos preocupamos com os nossos filhos doentes, ensinamos a eles, para o resto da vida, a darem atenção aos enfermos.

9. Cuide de você mesmo.
Você não pode amar os seus filhos se não amar a si mesmo. Você está sempre apressado, estressado e usando as duas primeiras coisas que encontra no armário? Então está na hora de cuidar melhor de si mesmo. Sono, alimentação, exercício e tempo de oração são essenciais. Se você não está dedicando tempo suficiente a isso, pense bem no que você precisa cortar para cuidar melhor de si mesmo.

10. Perdoe.

Como vamos ensinar os nossos filhos a perdoar se nós não os perdoamos? Às vezes ficamos tão envolvidos com técnicas disciplinares que nos esquecemos de perdoar os nossos filhos. Felizmente, Deus perdoa tanto a eles quanto a nós!

Kathleen M. Berchelmann, MD

Mensagens populares deste blogue

Conselhos do Papa Francisco para ir à Missa com crianças

Choros ou gritos das crianças podem atrapalhar, mas a comunidade deve incentivar a participação de toda família.
“Chata!” Respondi à minha avó quando me perguntou sobre o que eu havia achado da Missa. Na época, eu tinha uns seis anos. E olha que cresci em uma família católica, frequentando Missas e catequeses! Recordo que ir à Missa, muitas vezes, representava uma soneca durante a  homilia, pipocas doces e coloridas ou sorvete no fim. Confesso que minha participação não era exemplar, porém, creio que essa liberdade na participação foi ajudando a semear a fé em meu coração e em minha mente.

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

A mulher é quem dá harmonia ao mundo, não está aqui para lavar louça

O Pontífice indicou que é necessário evitar se referir à mulher falando somente sobre a função que realiza na sociedade ou em uma instituição, sem levar em consideração que a mulher, na humanidade, realiza uma missão que vai além e que nenhum homem pode oferecer: “O homem não traz harmonia: é ela. É ela que traz a harmonia, que nos ensina a acariciar, a amar com ternura e que faz do mundo uma coisa bela”. Em sua reflexão sobre a Criação, a partir da leitura do Livro do Gênesis, o Papa Francisco se referiu ao papel da mulher na humanidade.