Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2013

Famílias portuguesas são a personalidade do ano

Não sei a quem dar os créditos deste título. Disse-me um amigo que o ouviu num daqueles fóruns radiofónicos onde é costume ouvir zangados lugares comuns sobre política e os políticos. Dizia o participante que a mulher tinha conseguido fazer milagres com o pouco que tinha e, por isso, a vida da sua família tinha sido melhor do que seria de esperar. O ouvinte em questão talvez não se tenha dado conta, mas está casado com uma sinédoque: a personalidade do ano é a mulher dele e todas as outras. Bem como todos os maridos e os avôs e as avós e os netos, empregados e desempregados, enfim, toda a família. É a Família, em todas as suas formas, que é a personalidade do ano.

A família é o centro natural da vida humana

A família é o centro natural da vida humana, e não é “individual” mas pessoal-social. É falsa toda a oposição entre pessoa e sociedade. Não existem uma sem a outra. Pode haver oposição entre interesses individuais e sociais, ou entre interesses “globais” e pessoais. Mas não entre duas dimensões que são constitutivas do ser humano: o pessoal e o “familiar-comunitário-social”.
Por isso a Igreja medita sobre a família – base da vida pessoal e social -, promove-a nos seus valores mais profundos e defende-a quando é atacada ou subvalorizada. Por isso a Igreja trata de mostrar à mentalidade moderna que a família fundada no matrimónio tem dois valores essenciais para toda a sociedade e para toda a cultura: a estabilidade e a fecundidade.

Famílias visitadas pela graça

A festa da Sagrada Família de Jesus, Maria e José é destinada a exaltar o facto de o Filho de Deus, vindo à terra, ter querido também Ele fazer parte de uma família. Deus reconhece, assim, que a família é o âmbito privilegiado em que nasce e deve ser educado o homem e o cristão.
São certamente grandes as diferenças entre a Sagrada Família e as nossas famílias: na de Jesus, o pai é apenas pai legal, a mãe é virgem e o filho provém diretamente de Deus. Nesse sentido, não é possível encontrar paralelos com a família de Nazaré. Contudo, também esta família vive o quotidiano, como cada família, e nisso, pelo contrário, é certamente um modelo de relações humanas positivas: ternura, bondade, humildade, mansidão; são estas as características de uma vida quotidiana construtiva e consoladora. Todavia, também a família de Nazaré teve as suas cruzes e as suas penas, a começar pela perda de Jesus em Jerusalém, aos doze anos; e, depois, a morte do pai José, a partida de Jesus de Nazaré, afastando-se …

Oração à Família de Nazaré do papa Francisco - Festa da Sagrada Família 2013

Jesus, Maria e José a vós, Sagrada Família de Nazaré,
 hoje, dirigimos o olhar
 
com admiração e confiança;
 em vós contemplamos
a beleza da comunhão no amor verdadeiro;
 a vós confiamos todas as nossas famílias;
 para que se renovem 
nessas maravilhas da graça.
Sagrada Família de Nazaré,
 escola atraente do santo Evangelho:
 ensina-nos a imitar as tuas virtudes
 com uma sábia disciplina espiritual,
 doa-nos o olhar claro
 que sabe reconhecer a obra da providência
 nas realidades quotidianas da vida.
Sagrada Família de Nazaré,
 guardiã fiel do mistério da salvação:
 faz renascer em nós a estima pelo silêncio,
 torna as nossas famílias cenáculo de oração
 e transforma-as em pequenas Igrejas domésticas,
 renova o desejo de santidade,
 sustenta o nobre cansaço do trabalho,  da educação,
 da escuta,  da recíproca compreensão e do perdão.
Sagrada Família de Nazaré,
 desperta na nossa sociedade a consciência
do caráter sagrado  e inviolável da família,

Deus no centro da família

Na família de Nazaré, Deus ocupa um lugar central.  E na nossa?
Em 1917, em plena 1ª Guerra Mundial, o Papa Bento XV acrescentou às ladainhas do terço a jaculatória “Rainha da paz” implorando pela paz no mundo. No encerramento do Concílio Vaticano II, Paulo VI pediu que acrescentássemos outra, “Mãe da Igreja”, para colocar a Igreja sob a proteção de Maria. A última adição às ladainhas é de João Paulo II: “Rainha da família”. São três preocupações, expressadas dessa maneira, por diversos pontífices: paz, Igreja, família.
No último domingo do ano, a Igreja celebra a festa da Sagrada Família, apresentando-nos o exemplo do lar de Nazaré, no qual convergiram as três pessoas mais amadas pelos cristãos: Jesus, Maria e José.

Eles são um modelo de fé e fidelidade. A Virgem Maria é aquela que “conservava todas as coisas em seu coração”, coração que seria atravessado pela espada da dor, segundo a profecia o idoso Simeão no templo.

A alegria e a dor se misturaram nas vidas de Maria e José.…

Natal: uma Alegria que vem de dentro

Não recorras ao que já sabes do Natal,
mas coloca-te à espera
daquilo que de repente em teu coração
se pode revelar Não  reduzas o Natal ao enredo dos símbolos
tornando-o um fragmento trémulo sem lugar
no concreto da vida
Não repitas apenas as frases que te sentes obrigado a dizer
como se o Natal devesse preencher um vazio
em vez de o desocultar Não confundas os embrulhos com o dom
nem a acumulação de coisas com a possibilidade da festa:
o que recebes de graça
só gratuitamente poderás partilhar Cuida do exterior sabendo que ele é verdadeiro
quando movido por uma alegria que vem de dentro Uma só coisa merece ser buscada e celebrada, uma só:
o despertar de  uma Presença no fundo da alma Por isso o Natal que é teu não te pertence
Só a outro o poderás pedir.
Pe. Tolentino Mendonça

O Presépio somos nós! É dentro de nós que Jesus nasce!

Oração de Consoada de Natal 2013