Avançar para o conteúdo principal

A família não é um "aspecto cultural", mas uma experiência de vida



Semana da Família acontece na Itália de 12 a 20 de maio

A II Semana da Família na Itália acontece em datas entre o 50º aniversário da morte de Santa Gianna Beretta Molla, esposa e mãe exemplar até o sacrifício da própria vida, e o VII Encontro Mundial das Famílias, em Milão, de 30 de maio a 3 de junho.
A II Semana da Família é promovida pelo Fórum das Associações Familiares e da Federação do Projeto Família Vida, em parceria com a revista Punto Famiglia.
O objetivo é trazer a família ao centro da sociedade, apresentando-a não como um problema, mas como um recurso e um farol de esperança. Comunicar a família, principalmente através de depoimentos e testemunhos da vida real, e não com base em princípios abstratos: este é o método de articulação do evento, que foi apresentado em conferência de imprensa moderada pelo director da agência de notícias SIR, Paolo Bustaffa, na Sala Marconi da Rádio Vaticano.
Marco Giordano, presidente da Federação Projeto Família Vida, informa que a iniciativa nasceu há vinte anos com um grupo de famílias de Salerno, assumiu uma dimensão nacional e acabou se tornando internacional. "As pessoas descobrem-se como família quando são conscientes da sua identidade e direitos. Isto significa que a família não é um elemento estático, nem um agregado das necessidades, mas uma célula viva".
A história pessoal de Gianna Beretta Molla mostra que a santidade não está distante de nós, mas encontra terreno fértil na família todos os dias, continuou o presidente da Federação Projeto Família Vida. A santa de Magenta é um exemplo de sacrifício em nome do "primado da vida sobre o bem-estar": ela desafia o "senso comum", que teria escolhido sacrificar a última filha, não tanto por si mesma quanto pelos seus três primeiros filhos.
Um evento preliminar da Semana da Família foi dedicado a Gianna Beretta Molla em 28 de abril, no 50º aniversário da sua morte, com uma peregrinação ao seu túmulo e um testemunho especial dos seus filhos.
Segundo Gianna Savaris, vice-presidente do Fórum Nacional das Famílias, a família não é "apenas um aspecto cultural", mas principalmente uma "experiência de vida". Entender o seu verdadeiro significado é útil para "lidarmos com o espírito dos tempos". Ela "consegue construir e dar respostas", "assume responsabilidades" e "merece leis menos ideológicas e mais realistas". A família não é apenas um "consumidor", mas uma fonte de investimento, assim como os filhos não são um "assunto privado", mas um bem para toda a comunidade.
Anna Spinelli, presidente do Projeto Família Vida, diz que a família tem a capacidade de "regenerar o tecido social" e que devem ser incentivadas as relações de apoio entre as famílias. Da mesma forma, a aceitação da vida requer uma grande dose de solidariedade, especialmente quando uma mulher se vê diante de uma gravidez inesperada e precisa do apoio da sociedade para rejeitar o aborto.
Spinelli falou também do papel das mulheres na esfera pública: elas "não se esquecem de que são mães", e, por isso, podem proporcionar um grande exemplo e um grande testemunho.
Entre os projetos que serão apresentados durante a II Semana da Família, o presidente do Projeto Família Vida mencionou a abertura de um novo abrigo para mulheres grávidas em dificuldades, num imóvel confiscado da máfia.
A II Semana da Família comemora também a XX Jornada ONU da Família, em 15 de maio, abordando temas que vão do acolhimento dos pobres até a educação afetiva dos jovens, passando pelo aprofundamento da realidade das redes familiares e da assistência às mães e pais viúvos.

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 9 de maio de 2012 (ZENIT.org) por Lucas Marcolivio
Para mais informações: www.settimanafamiglia.it (em italiano)

Mensagens populares deste blogue

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

A mulher é quem dá harmonia ao mundo, não está aqui para lavar louça

O Pontífice indicou que é necessário evitar se referir à mulher falando somente sobre a função que realiza na sociedade ou em uma instituição, sem levar em consideração que a mulher, na humanidade, realiza uma missão que vai além e que nenhum homem pode oferecer: “O homem não traz harmonia: é ela. É ela que traz a harmonia, que nos ensina a acariciar, a amar com ternura e que faz do mundo uma coisa bela”. Em sua reflexão sobre a Criação, a partir da leitura do Livro do Gênesis, o Papa Francisco se referiu ao papel da mulher na humanidade.

Um cristão não pode dizer “sou contra homossexuais”

Convém recordar que Jesus Cristo está depois do Antigo Testamento e que, na sua passagem pela terra, deu sempre lugar de destaque às prostitutas, sobretudo a Maria Madalena. E, já agora, não será Mateus 19:12 uma aceitação da naturalidade da homossexualidade? “Alguns eunucos são assim porque nasceram assim”.