Avançar para o conteúdo principal

A família cristã vive hoje num mundo diferente

Caros esposos e esposas
Estimadas FAMÍLIAS!
Muito boa tarde!

Uma jornada da Família. A Sétima Jornada sobre a família. Será uma insistência desmedida, descontextualizada, ultrapassada? Alguns dirão que sim. Dirão que a família já não é o que era nem voltará a ser… dirão ainda: porquê insistir na tecla família, porquê o tradicional, quando vivemos tempos novos, desafiadores, pedindo novas estruturas humanas e sociais? E de indignação em indignação profetizam a desgraça, o pessimismo… a derrota. E desta revolta nasce o desespero, a frustração, o sem sentido, a banalização… a indiferença e o descrédito de tudo e de todos. E a lutas já não são por causas mas por coisas. As lutas transformam-se em subjetivismos e em relativismos… a fraternidade, a verdade e a caridade deixam de ser bandeiras para passarem a ser obstáculos.
Uma jornada da Família. A Sétima Jornada sobre a família cristã. Será uma insistência desmedida, descontextualizada, ultrapassada?
Definitivamente não. A jornada da família é um lugar de evangelização, isto é, um espaço onde podemos recordar ou reavivar a proposta do Evangelho. Este é aquela boa notícia, maravilhosa e inesperada notícia que todos não esperávamos, isto é, não pensávamos que acontecesse já, neste momento, no hoje da vida, mas que aconteceu e continua a acontecer.
Na verdade a família cristã não está em desespero, indignada, ensombrada, perdida… a família cristã vive hoje num mundo diferente. Tão diferente mas não menos maravilhoso, milagroso, admirável. É certo que está cheio de sombras mas está sobretudo cheio de luzes, cheio de vida e de vidas.
A família cristã vive hoje num mundo diferente. Um mundo que se apresenta inevitavelmente com uma nova linguagem e uma nova interpelação que não pode deixar indiferente a estrutura familiar.
Por isso as famílias crentes apresentam-se hoje a recolocar e a reformular a sua relação com o Evangelho de Jesus e como fazer audível a voz do mestre neste nosso mundo actual.
É este o nosso objetivo: tornar audível e presente o Evangelho e a voz do mestre.
E quando o evangelho e o mestre estão na génese da vida da família esta é para todos, lugar das esperanças do mundo e da Igreja.
A solidão, o envelhecimento desacompanhado, a educação desorientada e a indisciplina vigente, o sistema de ensino ideológico, as famílias desestruturadas, as violações e as violências, o desemprego e as injustiças ou novas condições sociais, a apatia e a indiferença, as políticas anti-família e anti-vida e a desfragmentação do núcleo social…, a pobreza miserável e a falsa solidariedade… são uma realidade. Não temos soluções para esta verdade. Só podemos colocarmos ao lado dos mais frágeis e vulneráveis, de todos os que sofrem no corpo ou no espírito e assumir: “As alegrias e as esperanças, as dores e as angústias do mundo são as alegrias e as esperanças, as dores e as angústias dos discípulos de Cristo” (GS 1).

Bem-vindos a esta jornada! Uma boa tarde!
Texto de abertura da VII Jornada da Família ESPERANÇAS DA FAMÍLIA
 

Mensagens populares deste blogue

Conselhos do Papa Francisco para ir à Missa com crianças

Choros ou gritos das crianças podem atrapalhar, mas a comunidade deve incentivar a participação de toda família.
“Chata!” Respondi à minha avó quando me perguntou sobre o que eu havia achado da Missa. Na época, eu tinha uns seis anos. E olha que cresci em uma família católica, frequentando Missas e catequeses! Recordo que ir à Missa, muitas vezes, representava uma soneca durante a  homilia, pipocas doces e coloridas ou sorvete no fim. Confesso que minha participação não era exemplar, porém, creio que essa liberdade na participação foi ajudando a semear a fé em meu coração e em minha mente.

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

A mulher é quem dá harmonia ao mundo, não está aqui para lavar louça

O Pontífice indicou que é necessário evitar se referir à mulher falando somente sobre a função que realiza na sociedade ou em uma instituição, sem levar em consideração que a mulher, na humanidade, realiza uma missão que vai além e que nenhum homem pode oferecer: “O homem não traz harmonia: é ela. É ela que traz a harmonia, que nos ensina a acariciar, a amar com ternura e que faz do mundo uma coisa bela”. Em sua reflexão sobre a Criação, a partir da leitura do Livro do Gênesis, o Papa Francisco se referiu ao papel da mulher na humanidade.