Avançar para o conteúdo principal

Tempo de férias tempo de brincadeira… em família!

Quem não gosta de férias? 
Todos gostamos porque nos permitem o descanso e o retemperar de energias para poder retomar o trabalho… Contudo férias não tão somente sinónimo de lazer e de descontracção. É tempo oportuno para a família se rever e reconhecer no seu papel original: comunidade de vida e de amor. 
Colocando de lado horários, stress, preocupações a família tem neste período uma oportunidade única para redescobrir a brincadeira. 
Brincar faz falta. 
Brincar uns com os outros faz imensa falta. 
Que o pai brinque com a mãe… que a mãe brinque com o pai… que o pai e a mãe brinque com os filhos… a brincadeira não é "brincadeira". Brincar é uma coisa séria. Tão séria e necessária é a brincadeira que não pode deixar de ser uma realidade em férias (e fora delas). 
A brincadeira é séria porque fomenta o conhecimento, espevita a criatividade, alivia a carga, promove o diálogo, activa as relações, desperta a convívio, produz comunicação, faz família… 
A brincadeira é necessária porque quebra rotinas, cria liberdade, estimula a confiança, é um investimento na sadia relação entre familiares, estabelece regras, aumenta a formação integral, incentiva à cultura, serena os corações, alivia as tensões…
Em tempo de férias brinquemos muito uns com os outros…brinquemos sem medo de nos sujarmos, sem medo de doenças, sem medo de quebrar algumas regras.... fantasiemos, contemos histórias, façamos teatro, contemos anedotas, joguemos muito… façamos sorrir… criemos oportunidades para estar juntos, ao menos em férias… 

Pastoral Familiar de Vila Nova de Famalicão

Mensagens populares deste blogue

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

Oração de Consoada 2017

Maria de Nazaré, Contigo cantamos as maravilhas de Deus. A tua espera, hoje nos enche de alegria! Com ela aprendemos o prazer de esperar... e por meio dela vivemos agora habitados pelo infinito...
José, filho de David, A tua espera, hoje surpreende-nos... Estamos maravilhados, porque Deus Entra no nossa vida e na nossa história Para nos oferecer a esperança da vida eterna.
Jesus, Deus connosco, O desejo de ti, faz-nos hoje experimentar a tua presença viva, simples e dócil. Sentado à nossa mesa, convives connosco nesta noite E nos interpelas com a tua ternura.
Sagrada família de Nazaré, Neste Natal, faz-nos sair ao encontro Dos rostos concretos daqueles que mais precisam. Não nos deixes acomodar diante desta mesa rica, Mas interpela-nos diante da pobreza e da injustiça.
Deus, Pai nosso, Abençoa-nos e abençoa estes alimentos Que em família reunida tomamos. Mas não nos deixes cair na tentação da indiferença. Dai pão a quem tem fome e fome de justiça a quem tem pão.
Amen!

Um cristão não pode dizer “sou contra homossexuais”

Convém recordar que Jesus Cristo está depois do Antigo Testamento e que, na sua passagem pela terra, deu sempre lugar de destaque às prostitutas, sobretudo a Maria Madalena. E, já agora, não será Mateus 19:12 uma aceitação da naturalidade da homossexualidade? “Alguns eunucos são assim porque nasceram assim”.