Avançar para o conteúdo principal

Tempo de férias tempo de brincadeira… em família!

Quem não gosta de férias? 
Todos gostamos porque nos permitem o descanso e o retemperar de energias para poder retomar o trabalho… Contudo férias não tão somente sinónimo de lazer e de descontracção. É tempo oportuno para a família se rever e reconhecer no seu papel original: comunidade de vida e de amor. 
Colocando de lado horários, stress, preocupações a família tem neste período uma oportunidade única para redescobrir a brincadeira. 
Brincar faz falta. 
Brincar uns com os outros faz imensa falta. 
Que o pai brinque com a mãe… que a mãe brinque com o pai… que o pai e a mãe brinque com os filhos… a brincadeira não é "brincadeira". Brincar é uma coisa séria. Tão séria e necessária é a brincadeira que não pode deixar de ser uma realidade em férias (e fora delas). 
A brincadeira é séria porque fomenta o conhecimento, espevita a criatividade, alivia a carga, promove o diálogo, activa as relações, desperta a convívio, produz comunicação, faz família… 
A brincadeira é necessária porque quebra rotinas, cria liberdade, estimula a confiança, é um investimento na sadia relação entre familiares, estabelece regras, aumenta a formação integral, incentiva à cultura, serena os corações, alivia as tensões…
Em tempo de férias brinquemos muito uns com os outros…brinquemos sem medo de nos sujarmos, sem medo de doenças, sem medo de quebrar algumas regras.... fantasiemos, contemos histórias, façamos teatro, contemos anedotas, joguemos muito… façamos sorrir… criemos oportunidades para estar juntos, ao menos em férias… 

Pastoral Familiar de Vila Nova de Famalicão

Mensagens populares deste blogue

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

A mulher é quem dá harmonia ao mundo, não está aqui para lavar louça

O Pontífice indicou que é necessário evitar se referir à mulher falando somente sobre a função que realiza na sociedade ou em uma instituição, sem levar em consideração que a mulher, na humanidade, realiza uma missão que vai além e que nenhum homem pode oferecer: “O homem não traz harmonia: é ela. É ela que traz a harmonia, que nos ensina a acariciar, a amar com ternura e que faz do mundo uma coisa bela”. Em sua reflexão sobre a Criação, a partir da leitura do Livro do Gênesis, o Papa Francisco se referiu ao papel da mulher na humanidade.

Um cristão não pode dizer “sou contra homossexuais”

Convém recordar que Jesus Cristo está depois do Antigo Testamento e que, na sua passagem pela terra, deu sempre lugar de destaque às prostitutas, sobretudo a Maria Madalena. E, já agora, não será Mateus 19:12 uma aceitação da naturalidade da homossexualidade? “Alguns eunucos são assim porque nasceram assim”.